Amazon, Facebook, Google, Twitter pedem continuidade na transição da IANA

Amazon, Facebook, Google, Twitter e outras gigantes da Internet enviaram na segunda, 12, às lideranças do Congresso norte-americano, uma carta conjunta pedindo pela não interferência na transição da entidade que administra endereços de Internet, a Internet Corporation for Assigned Names and Numbers (IANA). O documento, divulgado pela associação da indústria de computação e comunicações (CCIA, na sigla em inglês), é uma resposta às recentes investidas de integrantes do partido Republicano, que estaria tentando adiar a transição, marcada para o próximo dia 1º de outubro.

O argumento da carta é simples: a comunidade internacional multissetorial e a própria Internet Corporation for Assigned Names and Numbers (ICANN), entidade do departamento de comércio dos EUA (NTIA) responsável pela tutela das funções da IANA, já discutem o processo desde março de 2014. O plano de transição atende aos critérios da NTIA e foi entregue e aprovado neste ano. "A proposta final inclui medidas significativas e concretas para melhorar a responsabilidade da ICANN para a comunidade global", diz a carta. "Acreditamos que esta importante proposta vai assegurar a continuidade da segurança, estabilidade e resiliência do sistema, Além disso, salvaguardas cruciais estão alocadas para proteger os direitos humanos, incluindo a liberdade de expressão", completa.

As empresas e entidades setoriais destacam que a Internet é definida pela inclusão e abertura, e que essas características estão refletidas nos trabalhos da definição da proposta de trabalho. "Uma Internet global, interoperável e estável é essencial para a nossa segurança econômica e nacional, e continuamos comprometidos em completar a transição de um modelo de quase 20 anos para um modelo multissetorial que sirva melhor aos interesses dos EUA", finaliza a carta, assinada por um total de 27 empresas e entidades de Internet.

Críticas

Uma das vozes mais ferrenhas da extrema direita e que pede o adiamento da transição da IANA é a do senador republicano Ted Cruz, que afirma que os Estados Unidos estariam entregando a Internet para regimes como da Rússia e da China ao permitirem a transição. Em maio, ele e outros políticos enviaram ao governo norte-americano uma carta monstrando "preocupação" com o plano de "encerrar o papel" dos EUA – na verdade, o país apenas deixaria de ser o único controlador, mas permaneceria participativo. Segundo ele, a proposta "sem dúvida aumenta a influência de governos e falha ao atender aos requerimentos críticos estabelecidos pelo Congresso", declara. Cruz também cita sugestões de mudança da sede da ICANN para fora da jurisdição norte-americana, citando apoio do Irã, Argentina e Brasil e dizendo que isso poderia prejudicar o caráter não lucrativo da entidade. Vale lembrar que, dentre os critérios estabelecidos pela NTIA, está a impossibilidade de as funções da IANA serem assumidas por governos ou de qualquer forma multilateral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.