Lucro da Algar cai no segundo tri, mas receita sobe 12% mesmo com pandemia

A Algar Telecom apresentou nesta quinta-feira, 13, o balanço financeiro no segundo trimestre de 2020. No período, a empresa ampliou a receita líquida em 12,7% (para R$ 580,7 milhões) mesmo com os efeitos da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Já o lucro líquido da operadora recuou 50,8%, para R$ 85,2 milhões.

"O segundo trimestre de 2020 foi o primeiro trimestre completo de funcionamento da economia brasileira já dentro do contexto da pandemia da covid-19. Na Algar Telecom, nossa operação vem mostrando alta resiliência nesse cenário", afirmou a companhia.

Assim, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) recorrente da empresa cresceu 27,4%, para R$ 283,8 milhões no segundo trimestre. O desempenho no segmento B2B e contínuas ações de eficiência operacional e contingenciamento de gastos foram creditados como razões para a alta. Vale destacar que os investimentos foram redimensionados e caíram 45,4%, para R$ 93,1 milhões entre abril e junho.

Quando considerado o primeiro semestre inteiro, houve alta de 13,2% na receita líquida (R$ 1,155 bilhão), de 14,7% no Ebitda recorrente (R$ 517,7 milhões), mas queda de 41,9% no lucro líquido (R$ 130,2 milhões). Já os investimentos entre janeiro e junho caíram 38,8%, para R$ 222,6 milhões.

B2B

No balanço, a Algar destacou o segmento B2B como "principal vetor de crescimento" da empresa no segundo trimestre. O número de clientes da operadora na área saltou 25,7% em um ano, para 143,6 mil. Destes, 128,2 mil são pequenas e médias empresas. Ao final de junho, a Algar Telecom atuava no mercado B2B de 359 cidades em 16 estados e no Distrito Federal.

Em um ano, a receita bruta com B2B cresceu 11,4%, para R$ 449,2 milhões. Já na comparação com o primeiro trimestre, houve queda de 0,5%. Segundo a Algar, essa retração foi causada "por setores empresariais cujas atividades sofreram redução em função da pandemia da covid-19". No acumulado dos primeiros seis meses do ano, a receita bruta do segmento B2B cresceu 12,3% (R$ 901,3 milhões).

B2C

No segmento de varejo, a receita bruta no segundo tri cresceu 8,4% (R$ 302,9 milhões), muito impulsionada pela banda larga fixa, que cresceu 15,8% (R$ 158 milhões). No mesmo intervalo, o negócio de voz fixa e móvel recuou 22%, para R$ 64,7 milhões sobretudo por conta da migração para serviços de dados, segundo a empresa. Em seis meses, a área B2C como um todo faturou R$ 606,7 milhões (alta de 8,3%).

A Algar Telecom atua nos 87 municípios de sua área de concessão e em algumas cidades adjacentes de Minas Gerais com ofertas de banda larga em fibra ótica, celular e telefone fixo. Os investimentos na expansão da rede de fibra resultaram em 69% de homes passed na área de atuação e, ao fim do segundo trimestre, um total de 66,8% da base de banda larga atendida com a tecnologia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.