Claro tem avanço nas receitas no segundo trimestre, mas serviços fixos caem

O serviço móvel foi o grande responsável pelos números positivos da Claro Brasil no segundo trimestre, de acordo com o balanço financeiro divulgado nesta terça, 13. Por sua vez, as receitas de serviços fixos, como Internet e TV por assinatura, caíram no período.

Conforme os resultados divulgados pela controladora América Móvil, as receitas da Claro Brasil totalizaram R$ 9,755 bilhões no segundo trimestre, um aumento de 2,3% comparado a igual período do ano passado. No acumulado do primeiro semestre, a companhia registrou receitas totais de R$ 19,529 bilhões, um aumento de 1%. 

O grande destaque que tanto a AMX  quanto a própria Claro deram para o desempenho da operadora brasileira foi no serviço móvel. Houve um crescimento de 12,6% nas receitas do trimestre, totalizando R$ 4,685 bilhões. Já no semestre, o avanço foi de 8,8%, total de R$ 9,249 bilhões. 

Notícias relacionadas

Praticamente todo o resultado advém de serviços móveis, com R$ 4,375 bilhões (avanço de 10,2%) no trimestre e R$ 8,665 bilhões no semestre (aumento de 7,6%). Porém, o maior crescimento proporcional veio das receitas de equipamentos. O avanço foi de 61,8% no trimestre, total de R$ 310 milhões; e de 29,6% no semestre, total de R$ 584 milhões.

Queda no fixo

O serviço fixo, que engloba as operações da Claro em banda larga fixa, TV por assinatura e telefonia fixa (antiga Net Serviços), além da Embratel, observou queda. No segundo trimestre, o recuo foi de 5,8%, totalizando R$ 5,052 bilhões. Já nos seis primeiros meses do ano, a redução foi de 5,2%, total de R$ 10,242 bilhões.

Sem detalhar os números, a AMX afirma que a Claro observou queda de 12,7% nas receitas de TV por assinatura, "com as receitas do serviço de banda larga desacelerando de 7,2% no trimestre anterior para 4,9%". 

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) totalizou R$ 3,916 bilhões no trimestre, um avanço de 2,6%; e 7,821 bilhões no semestre, aumento de 3,9%. A margem EBITDA no trimestre ficou praticamente estável (aumento de 0,01 ponto percentual), ficando em 40,1%. No semestre, a margem subiu 1,1 p.p. e ficou em 40%. Incluindo a depreciação e a amortização, o EBIT no trimestre e no semestre, respectivamente, chegou a R$ 1,383 bilhão, recuo de 12%; e a R$ 2,638 bilhões, queda de 12,1%.

Operacional

A Claro encerrou o semestre com 67,772 milhões de acessos móveis, um crescimento de 15,8%. No segmento pós-pago houve um aumento maior, de 22,9%, totalizando 39,134 milhões de contratos. O pré-pago ainda aumentou 7,4%, encerrando junho com 28,638 milhões de acessos.

No balanço da América Móvil, a operadora brasileira não discrimina os acessos por serviços fixos de telefone, TV por assinatura e Internet, consolidando todos em unidades geradoras de receita (UGRs). Desta forma, foram 31,926 milhões de UGRs, uma queda de 4%. A AMX destacou que houve 347 mil acessos fixos desconectados, incluindo 148 mil clientes de TV paga e 152 mil de linhas fixas.

No balanço da Claro Participações enviado à CVM, a empresa destaca ter cobertura de 33,5 milhões de domicílios em 313 cidades com a rede fixa, o que engloba tanto fibra quanto cabo na última milha. Especificamente com FTTH, foram 26 novas cidades no trimestre, chegando a 108 cidades e 2,1 milhões de homes passed. 

O Claro Box TV chegou a 122 mil assinantes no segundo trimestre, o que companhia afirma ser quase 3,5 vezes maior do que nos primeiros três meses do ano. 

Deixe seu comentário