Procon pedirá na Justiça proibição da venda de linhas móveis em Porto Alegre

Na esteira das reclamações do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo contra a má qualidade da telefonia móvel, sobretudo dos serviços prestados pela TIM, o Procon de Porto Alegre promete ingressar com uma medida cautelar para proibir a venda de novas linhas de telefonia móvel na capital gaúcha.

Estão na mira do Procon-RS os serviços de telefonia pós e pré-pagos de todas as operadoras que atuam na cidade.
Segundo o órgão, a medida será tomada devido ao grande volume de reclamações de usuários do serviço. A maior parte das queixas deve-se à qualidade dos serviços prestados pelas operadoras. A ação chegará ao Judiciário por meio de representação da Ordem dos Advogados do Rio Grande do Sul (OAB/RS).

Outro pleito da entidade é que os consumidores recebam desconto proporcional ao tempo de serviço não prestado no caso de interrupção da telefonia ou da conexão em banda larga. O crédito deve vir nas faturas emitidas pelas operadoras.

Notícias relacionadas

Para fundamentar sua queixa, o Procon gaúcho afirma que apenas neste ano recebeu 806 reclamações de clientes de operadoras insatisfeitos com o serviço. “É o descaso das operadoras com os consumidores que não recebem a informação adequada sobre o serviço que estão contratando”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.