Fabricantes vão praticar subsídio cruzado para não perder benefícios da MP do Bem

Com a alta do dólar e a expectativa de renegociação dos preços de smartphones no Brasil, conforme comentado por fontes a MOBILE TIME, resta a dúvida sobre como ficará a desoneração de impostos para os modelos enquadrados na MP do Bem. Hoje, há isenção de impostos federais para os smartphones fabricados no Brasil vendidos com preço de ponta de até R$ 1,5 mil. Eventuais reajustes poderiam fazer com que determinados modelos superassem esse limite e perdessem o benefício da desoneração. Fontes ouvidas por este noticiário, entretanto, não acreditam que isso vá acontecer. A solução dos fabricantes será o subsídio cruzado dentro do seu próprio portfólio. Ou seja: vão aumentar mais do que o necessário os preços dos produtos da gama alta e, em contrapartida, segurar aqueles dos modelos de gama média que estiverem perto de R$ 1,5 mil.

Um caso emblemático é o do recém-lançado Galaxy A5, da Samsung, cujo preço de ponta está exatamente no limite: R$ 1.499. Seu principal concorrente é o Moto X. Se aumentar o preço, perderá competitividade. A hora da verdade virá em abril, quando é esperado um reajuste geral de preços por parte de vários fabricantes, de acordo com fontes.

Vale lembrar que o governo discute internamente uma nova regulamentação para a desoneração dos smartphones e o limite do preço pode vir a mudar no futuro, assim como as definições do que é considerado um smartphone e do conteúdo nacional que nele precisa vir embarcado ou recomendado (hoje, são 50 apps nacionais).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.