Algar volta a fechar ano com aumento em receitas e lucro

Assim como no exercício de 2015, a Algar Telecom voltou a apresentar um balanço positivo em receitas e lucro em 2016, informou a empresa em seu relatório financeiro divulgado nesta segunda-feira, 13, na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A receita líquida aumentou 5,2%, totalizando R$ 2,544 bilhões no acumulado de 12 meses. A receita bruta totalizou R$ 3,314 bilhões, um aumento de 7,2%. Considerando somente as receitas em telecom, foram R$ 2,412 bilhões, avanço de 8,2%.

O lucro líquido da empresa aumentou 19,5%, totalizando R$ 183,6 milhões. Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBTIDA) avançaram 10,6% e fecharam o ano em R$ 709,8 milhões, com margem de 28%, um ponto percentual (p.p.) do que em 2015. Considerando somente o negócio de telecomunicações, o EBTIDA foi de R$ 633,5 milhões, avanço de 18%, com margem crescendo 3 p.p. e ficando em 36%, resultado do aumento da receita e de ações para melhorar eficiência operacional.

A companhia investiu no ano passado R$ 501 milhões, sendo que 67% foram direcionados à expansão de redes, especialmente com a modernização e implantação de fibra; 25% para manutenção e operação e 8% para expansão de gestão de clientes e de serviços de TIC. O total de investimentos foi praticamente igual ao de 2015 (R$ 500,7 milhões). A dívida líquida da Algar ao final de 2016 foi de R$ 1,257 bilhão, contra R$ 1,174 bilhão em 2015.

Em mensagem aos acionistas, o diretor presidente da Algar, Jean Carlos Borges, aponta como destaques operacionais em 2016 o lançamento da 4G em 700 MHz nas cidades mineiras de Uberlândia e Ituiutaba, além da assinatura de um contrato com a Nokia para expandir o LTE com refarming da frequência de 1,8 GHz, conforme antecipado por este noticiárioem demais áreas cobertas pela empresa "até o final de 2017". Lembra ainda da finalização incorporação da Optitel, iniciada em 2015, e do cabo Monet, uma parceria com Google, Angola Cables e Antel (Uruguai) que ligará Nova York a Fortaleza e que atualmente está em fase de construção de estações terrestres, com conclusão prevista para a metade deste ano.

Operacional

A companhia registrou em dezembro 1,632 milhão de linhas fixas, aumento de 12,7% em relação a 2015 graça ao mercado corporativo. Na telefonia móvel, a base cresceu 3,9% nos 12 meses, totalizando 1,309 milhão de acessos. Em pós-pagos, houve avanço de 16,4%, enquanto a base pré-paga caiu 0,2%. A receita média por usuário (ARPU) ficou em R$ 19,34.

Na banda larga fixa houve um crescimento de 11,1%, totalizando 473 mil acessos. Desse total, 188 mil (ou 41%) são de planos com velocidades acima de 10 Mbps. No mercado de TV por assinatura, a companhia encerrou o ano em queda de 8,1%, total de 98 mil acessos. A companhia justifica o recuo pelo foco em ofertas de maior ticket médio, substituição da TV por serviços over-the-top (OTT) e ambiente macroeconômico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.