Gabinete de Aquino projeta de 4 a 10 provedores regionais no leilão 5G

A banda exclusiva para prestadoras de pequeno porte (PPPs) e entrantes proposta para o leilão 5G pelo conselheiro da Anatel, Vicente Aquino, deve proporcionar a participação de quatro a dez provedores regionais no certame, projetou o assessor do gabinete do conselheiro, Hermano Tercius. Também segundo ele, ainda que a proposta em análise deva ser revista, Aquino não deve abrir mão do bloco reservado para o segmento.

"Nós dividimos em 14 regiões e entendemos que algumas empresas devem comprar mais de uma região. Não é proibido, pelo contrário. Esperamos que tenha entre quatro a dez provedores regionais entre os vencedores dessas regiões. Pode chegar a 14, mas algumas regiões devem ser compradas pela mesma [provedora], ao mesmo tempo que algumas podem não ser vendidas", sinalizou Tercius nesta terça-feira, 12, após apresentação realizada durante evento da TelComp.

"Na região Norte, por exemplo, não identificamos um provedor regional com interesse de comprar", alegou o assessor. "Por isso colocamos São Paulo capital e Rio capital [atreladas] com o Norte e uma parte do Centro-Oeste. Fizemos isso para caso nenhum provedor tenha interesse e capacidade de comprar, quando for disponibilizado para as grandes, que pelo menos elas possam adquirir de forma que [as regiões mais afastadas] não sejam desatendidas", prosseguiu, citando a chamada política do "filé com osso".

Como proposto pelo conselheiro Aquino, o bloco exclusivo para PPPs e entrantes terá 50 MHz. "Esse bloco é essencial e algumas grandes já entenderam e nos trouxeram concordância. O que pode existir agora é discussão do tamanho e do local", afirmou Tercius. Já para o mercado geral serão disponibilizados 250 MHz divididos em 25 blocos de 10 MHz. Assim como afirmado pelo próprio conselheiro a este noticiário, o receio que a "fragmentação" da faixa impeça a oferta de serviços 5G de qualidade ao impedir blocos contínuos foi considerado infundado por Tercius.

"Não haverá descontinuidade. Os blocos serão leiloados de maneira abstrata. Depois de definidos os vencedores, eles serão agregados e não existirá possibilidade de ficar com 30 MHz no início e 30 MHz no final da faixa. O bloco mínimo vai ser 50 MHz, ninguém poderá comprar apenas 10 MHz. Dividimos em blocos de 10 MHz para, depois de 50 MHz, permitir saltos mais suaves para 60 MHz, 70 MHz, 80 MHz", reiterou o assessor.

"Se houver quatro vencedores [no bloco para o mercado geral], a configuração pode ficar em 70 MHz, 60 MHz, 60 MHz e 50 MHz. Já se tiver só três ganhadores, esperamos 90 MHz, 80 MHz e 80 MHz, na possibilidade mais equilibrada possível, ou um cenário com 100 MHz, 80 MHz e 70 MHz", completou Tercius.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.