PromonLogicalis aposta em 4G e pressão por qualidade para crescer na América Latina

Buscando expandir ainda mais sua atuação na América Latina, a PromonLogicalis anunciou nesta quinta, 12, o início de sua operação no México. Até, então, a provedora de serviços e soluções de tecnologia da informação e comunicação (TIC) concentrava seus esforços na América do Sul, atuando na Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai, além, naturalmente, do Brasil. A PromonLogicalis somou US$ 484 milhões em receitas na América Latina no ano fiscal de 2013 encerrado em fevereiro, alta de 8% em relação ao ano anterior, mas o Brasil ainda concentra 73% do faturamento da região.

Para o CEO da empresa, Rodrigo Parreira, a expansão é importante porque atualmente 40% das receitas provêm de empresas atendidas regionalmente. "As receitas com soluções e serviços para operadoras ainda são a maior parte do nosso faturamento, podendo variar de 50% a 80%, dependendo do País – no Brasil é de cerca de 60% e no Chile chega a 80% do faturamento", conta Parreira. "Assim, mesmo com arrefecimento da economia e alguns setores da indústria e do varejo que chegaram a ter retração, conseguimos crescer cerca 10% na região no último ano fiscal."

Parreira acredita que as pressões regulatórias por qualidade e desempenho dos serviços de telecomunicações que se verificam por toda a América Latina, em conjunto com leilões e atendimento de metas de cobertura para o 4G, assegurarão o crescimento da PromonLogicalis este ano. "No Brasil, por exemplo, as operadoras móveis se comprometeram a fazer mais investimentos para melhorar a qualidade dos serviços, e isso inclui aumento de capacidade e otimização. E é onde entramos com hardware e integração", explica o CEO. Além, disso, ao lançar suas operações LTE, as operadoras também devem reforçar suas infraestruturas de rede para aguentar a demanda de tráfego.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.