Huawei inicia produção local de smartphones

A ideia era fazer a divulgação já no primeiro trimestre de 2011, mas a Huawei decidiu aproveitar a Futurecom para anunciar o início da produção de seus smartphones no Brasil, na planta da Flextronics, em Sorocaba (SP). O anúncio aconteceu nesta segunda-feira, 12, com o lançamento do Ideos, um dos handsets mais bem sucedidos da empresa.  “Não poderia haver um produto melhor para inaugurar nossa linha de produção no País”, disse Marcelo Najnudel, gerente de marketing da área de terminais da Huawei do Brasil. Lançado em setembro de 2010, o primeiro smartphone da família Ideos vendeu mais de um milhão de unidades em 70 países em dois meses após chegar às lojas.

Notícias relacionadas
No Brasil, o produto já pode ser encontrado em algumas grandes redes varejistas e, futuramente, nas lojas das operadoras. “Estamos em fase de negociação com as teles, mas em outubro já teremos novidades”, diz o executivo. A negociação vale não só para o smartphone Ideos, mas também para o Vision e o MediaPad, o mais novo tablet da Huawei. Ambos também estão sendo lançados no mercado brasileiro, porém sem previsão de produção local. O Vision tem sistema Android 2.3, tela de 3,7 polegadas, câmera fotográfica com 5 megapixels e flash em LED, além de Bluetooth 2.1 e Wi-Fi. Com cartão, o aparelho pode armazenar até 32 GB e suporta o novo serviço de nuvem da Huawei, o Cloud+, que dará 16 GB grátis para cada usuário.

O tablet (MediaPad) tem tela de 7 polegadas, pesa 390 gramas e espessura de 10,5 milimetros. Com Android 3.2 e processador dual core de 1,2 GHz, possui duas câmeras (5 MP atrás e 1,3 MP na frente), microfone, memória interna de 8 GB, slot para cartão de 32 GB, porta HDMI e acesso a filmes em full HD.

Ideos

A proposta do Ideos é a de ser o smartphone com sistema operacional Android mais barato do mercado.  O terminal chega ao varejo com o preço de R$ 399. Apesar da produção terceirizada (OEM), a companhia não descarta a possibilidade de fabricação própria. “Até o início de 2012 vamos analisar essa questão”, diz Najnudel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.