Claro não quer ficar de fora da partilha da Oi móvel

Foto: Pixabay

A Claro não vai ficar parada enquanto TIM e Vivo se movimentam em conjunto para comprar a parte móvel da Oi. Este noticiário confirmou que a empresa está dentro do processo de sondagem que a Oi vem conduzindo para a eventual venda da Oi móvel e está pronta a fazer uma oferta para pelo menos parte da operação. Mas a estratégia da companhia não para por aí. Existe uma grande preocupação da Claro com aspectos concorrenciais na proximidade entre Vivo e TIM, que já têm acordos de compartilhamento de rede (RAN Sharing) e single grid. A Claro enxerga um relacionamento excessivamente próximo das duas companhias concorrentes. "São duas empresas que estão com canais de comunicação bastante abertos, e que chegaram a um acordo para fazer uma oferta pela Oi muito mais rapidamente do que negociações desse tipo costumam levar", diz uma fonte próxima à Claro. A Claro também tem acordos com a TIM e Vivo. Segundo fontes da Anatel, estes acordos de compartilhamento não devem interferir na análise da agência em caso de anuência prévia para a compra da Oi pelas TIM e pela Vivo, já que seriam acordos específicos.

De qualquer maneira, pode-se esperar desta preocupação algumas medidas por parte da Claro: por exemplo, demandar das autoridades concorrenciais que, caso haja uma venda para TIM e Vivo, a operação não seja exclusiva e ela possa participar do fatiamento da base de clientes da Oi Móvel.

Reequilíbrio

A aproximação entre TIM e Vivo, de fato, já vem acontecendo há algum tempo com os acordos de RAN Sharing e single grid. A movimentação da Claro comprando a Nextel acabou unido mais ainda as duas empresas, que se viram em desvantagem em relação ao espectro. Mas o fato é que, em termos de market share (número de assinantes), a Vivo ainda está bem à frente, e Claro e TIM disputam o segundo lugar com cerca de 25% cada. Vivo, TIM e Oi têm, somadas, 73% de market share, sendo 33% apenas para a Vivo. Ainda que a base da Oi móvel seja considerada de menor valor por ter um percentual de pré-pagos maior, a receita e EBITDA gerados são considerados interessantes pelas demais empresas. A Claro não tem expectativa de que a Oi possa vir a vender ativos fixos, e portanto não poderia ficar fora da partilha da parte móvel da Oi

2 COMENTÁRIOS

  1. E a TIM ja usa a rede da Oi 4G em alguns estados.
    Uma pena a Oi ser vendida, outro acionista forte poderia entrar pra que ela nao fosse vendida.
    No passado Sawiris tinha muito interesse na Oi.

  2. acho que esses fundos de investimentos podem sim investir o valor que a oi precisa para sua rede de fibra ótica,deve ser por esse motivo que ninguém confia mais em comprar as ações da oi se eles mesmo não acreditam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.