Tribunal dos EUA decide a favor de fusão entre T-Mobile e Sprint

Um tribunal federal do distrito sul de Nova York (EUA) emitiu uma decisão favorável à fusão da T-Mobile com a Sprint, comunicaram as empresas nesta última terça-feira, 11. A sentença faz parte de processo contra o consolidação movido por uma coalizão de procuradores-gerais de 14 estados norte-americanos.

A alegação do grupo é que a fusão das duas empresas (a terceira e quarta em market share móvel no país) enfraqueceria a competição do setor, resultado no aumento de preços. Já o entendimento do juiz federal Victor Marrero foi distinto: o magistrado afirmou que a T-Mobile foi a razão de diversas mudanças "pró-consumidores" na postura comercial das líderes de mercado (AT&T e Verizon) na última década, e que o negócio fortaleceria tal dinâmica.

Notícias relacionadas

Marrero também questionou a capacidade que a Sprint teria para seguir atuando sozinha como operadora nacional nos próximos anos. No todo, o magistrado entendeu que a transação, avaliada em US$ 26 bilhões, não será prejudicial à competição.

A T-Mobile comemorou a decisão em comunicado. Diretor de operações, presidente e futuro CEO da empresa a partir de maio (em substituição a John Legere), Mike Sievert afirmou que há expectativa de conclusão do negócio até o dia 1º de abril. O Departamento de Justiça e a Federal Communications Commission (FCC) já aprovaram a fusão, da qual nascerá a New T-Mobile, ou a segunda maior operadora móvel dos EUA.

Chairman da FCC, Ajit Pai também elogiou a decisão e destacou o compromisso das empresas levarem 5G para 97% da população norte-americana em três anos e para 99% em seis. Ainda segundo Pai, o negócio "representa uma oportunidade única para acelerar o deployment do 5G no país", além de possibilitar um uso "mais produtivo" do espectro em banda média.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.