Acionistas da PT SGPS adiam assembleia que avaliará proposta da Altice

Conforme esperado, a assembleia de acionistas da Portugal Telecom (PT) SGPS, marcada para esta segunda-feira, 12, e que iria aprovar (ou não) a proposta de venda dos ativos em Portugal para a francesa Altice, por 7,4 bilhões de euros, foi adiada para o próximo dia 22 de janeiro. Isso aconteceu devido à recomendação da Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) de Portugal, que instruiu acionistas da empresa a analisarem mais informações após a divulgação do relatório da PwC na semana passada, que mostrava irregularidades na governança e na gestão financeira da PT SGPS. A própria companhia portuguesa emitiu comunicado pouco antes de definir o adiamento, afirmando que os acionistas poderiam "vir a considerar mais adequado suspender a sessão". Havia duas propostas de adiamento: uma por 21 dias e uma or 10 dias. Prevaleceu, por 90% dos votos, o adiamento por um tempo menor, o que denota a preocupação dos acionistas com a realização rápida da AGE.

Notícias relacionadas
No Brasil, a Oi emitiu comunicado declarando apoio à suspensão, reiterando que a venda dos ativos para a Altice seria a melhor decisão para os acionistas da PT SGPS e que isso vai permitir à empresa participar de forma ativa em algum processo de consolidação no Brasil. Confira abaixo o comunicado da Oi na íntegra:

A Oi apoiou a suspensão da Assembleia de Acionistas da PT SGPS que votaria a venda da PT Portugal nessa data. Esse apoio está fundamentado no pedido de informações adicionais feito pela CMVM. Embora a Oi entenda que foram previamente colocados à disposição dos acionistas elementos informativos necessários e adequados para a deliberação, o apoio à suspensão traduz  sua  disposição permanente  em prestar toda e qualquer informação adicional julgada eventualmente necessária pelo Regulador,  proporcionando assim uma avaliação correta e  acurada pelos investidores.

A Oi entende que a venda é o melhor para todos os seus acionistas diretos e indiretos, inclusive PT SGPS, já que após o evento Rio Forte criou-se um cenário negativo para as duas companhias, e a venda da PT Portugal ataca a alavancagem de ambas as empresas, aumentando suas flexibilidades financeiras, capacidade de investimento, e habilita a Oi a participar no esperado processo de consolidação no Brasil, que tem potencial de captura de sinergias materiais, ganhos de escala e melhora ainda mais da flexibilidade da Oi.

A Oi acrescenta que a suspensão da Assembleia é realizada de sorte a dar maior segurança na deliberação da mesma e caminhar para a viabilização da aprovação da venda da Portugal Telecom, na medida em que esse é o desejo do mercado, conforme as manifestações reiteradas dos acionistas da Oi e a recomendação unânime da ISS e da Glass Lewis (duas das principais instituições internacionais de orientação de voto de investidores no mercado de capitais) aos acionistas da PT SGPS.

Oi aproveita e reitera seu compromisso já manifestado anteriormente, no âmbito de seu aumento de capital, de ingressar no Novo Mercado de forma a se tornar uma companhia de capital pulverizado com os mais altos padrões de governança corporativa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.