Cisco dobra aposta em silício com lançamento de nova linha de produtos

Se preparando para o aumento exponencial de consumo de banda proporcionado por novas tecnologias como o 5G e a Internet das Coisas, a Cisco anunciou nesta quarta-feira, 11, uma nova linha de componentes para data centers (incluindo processadores) baseada em silício. O anúncio foi realizado durante a conferência Internet for the Future organizada pela fornecedora em San Francisco, nos EUA.

Na ocasião, foi apresentada a linha de processadores Cisco Silicon One. Classificada como a base do portfólio de roteadores para data centers da fornecedora daqui para frente, a linha deve permitir convergência entre os chips baseados em silício, componentes óticos e software a partir de uma única plataforma.

Notícias relacionadas

O movimento segue caminho indicado após a aquisição pela Cisco, por US$ 660 milhões, da empresa de semicondutores Luxtera, especializada no uso de fotônicos em silício para recursos óticos voltados a data centers. O negócio foi finalizado em fevereiro deste ano, com novas aquisições do gênero podendo ser concluídas nos próximos meses.

Segundo o CEO da Cisco, Chuck Robbins, o lançamento da nova linha de componentes também resulta de um trabalho de pesquisa e desenvolvimento de cinco anos desenvolvido pela fornecedora norte-americana, que teria investido cerca de US$ 1 bilhão na empreitada.

Com a inclusão dos chips a base de silício, a empresa espera simplificar e baratear o processo de montagem dos componentes óticos na medida que estes demandarem capacidades como 400G e além. A companhia ainda revelou que poderá comercializar os diferentes elos da cadeia (apenas o processador ou apenas o software) também de forma desagregada, em nova abordagem que deve ser relevante para prestadores de serviços de nuvem ou mesmo de telecom.

Segundo a Cisco, o primeiro chip da empresa com a arquitetura (o Q100) já permite que a marca de 10 Tbps no roteamento seja ultrapassada sem perda de programabilidade, buffering ou flexibilidade. A expectativa é que a tecnologia permita velocidade de 25 Tbps em um futuro próximo.

Uma nova série de roteadores (a 8000 Series) já equipada com o chip Q100 também foi apresentada, voltada para provedores de serviços de telecom e nuvem. Segundo a Cisco, testes com o equipamento (considerado ideal para redes 5G de larga escala) já estão sendo conduzidos pela Saudi Telecom Company (STC).

A norte-americana Comcast e a japonesa NTTCom devem ser as próximas a utilizarem os produtos no core de suas redes. Diretor da área de provedores de serviços da Cisco, Jonathan Davidson afirmou que a nova linha deve ajudar o setor a expandir a capacidade das redes diante da demanda futura por dados e da pressão no capex. "Um dólar investido hoje tem que entregar 11 vezes o resultado do investido em 2012", notou o executivo.

* O jornalista viajou a San Francisco a convite da Cisco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.