Telecom Italia acredita que venda da Oi seria 'complicada'

Foto: Pixabay

Na opinião do CEO da Telecom Italia, Luigi Gubitosi, se a Oi for colocada à venda, nenhum player brasileiro sozinho poderia dar conta de comprá-la. A declaração foi dada pelo executivo durante teleconferência de resultados da controladora da TIM Brasil na última sexta-feira, 8, e vai ao encontro do que a rival Telefónica tem falado: que a o cenário atual exigiria algum tipo de esforço conjunto entre outras empresas. Só que ainda faltaria definições de quem ficaria com o quê e como, o que adiciona um nível de complexidade à operação. 

"Eu não acho que alguém no Brasil, inclusive nós mesmos, pode comprar a companhia inteira", declara Gubitosi a respeito da Oi. "Então será uma transação um tanto complicada, mas o tempo irá dizer."

A princípio, ele não quis comentar a transação especificamente, mas afirmou sobre os rumores de consolidação que "toda vez que tem uma situação assim, e acho que já dissemos várias vezes, adoramos isso". 

Ele cita a entrevista do CEO da TIM, Pietro Labriola, à imprensa durante evento em São Paulo no final do mês passado, e confirma que se a Oi Móvel ficasse disponível para a venda, "é claro" que a empresa ficaria de olho, inclusive com o apoio da maioria dos acionistas. "Mas eu não estou a par de nenhum processo de venda no Brasil. Então, a cada vez que o mercado diminui de quatro para três [players], acho que ajuda a estabilizar", diz. 

No começo da semana passada, Labriola afirmou ainda que o interesse na Oi poderia passar também por compartilhamento de infraestrutura, aluguel ou swap de fibra. "A Oi é importante. O segmento móvel é um ativo claro, mas ela tem muita fibra, então é preciso ver a forma como isso estará disponível no mercado, pode não ser especificamente a venda, mas o aluguel da capacidade e o swap", declarou ele na ocasião. 

Na terça-feira da semana passada, o COO da Telefónica, Ángel Vilá, deu declaração semelhante sobre a consolidação precisar de um esforço conjunto. Importante lembrar que, segundo reportado pela imprensa espanhola no mês passado, a controladora da Vivo estaria trabalhando em um acordo "a seis mãos" ao lado de Claro (grupo América Móvil) e TIM (Telecom Italia), mirando sobretudo a operação móvel da concorrente, além de torres e lojas.

6 COMENTÁRIOS

  1. Até pq recentemente a claro adiquiu a Nextel, a Tim tbm tava afim dela ,as duas estão brigando pra ver quem tem direito na 5 operadora! Quem fica sem saber direito, e os cliente da Nextel, vai se junta há qual operadora, mexicana,ou italiana, qual for a decisão, espero que seja bom para os futuros cliente de ambas? E a minha simples opinião.

  2. O certo no caso se for vender teria que ser para outro grupo que não esteja no Brasil e assim terá concorrência e quem ganha somos nós consumidores, magina se for as que já está no mercado compra estamos ferrados.

  3. Brasil devia ter operadora brasileira está operadora todas fora só faz nois brasileiros de escravos além ser caro ainda não presta mas Brasil tudo assim ser brasileiro só dizer que é mas verdade devia mudar nome Brasil e vergonha nacional.

  4. Tim,claro,vivo, comprando vai haver aumento de tarifas, a Oi tem que ser vendida a empresa americana ou chinesa para aumentar a concorrência e baixar as tarifas!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.