Martinhão: interconexão internacional dificulta redução de preço de acesso

Maximiliano Martinhão, do Minicom. Foto: Bruno do Amaral

Durante debate no Fórum de Governança da Internet (IGF 2015) nesta quarta-feira, 11, o secretário de telecomunicações do Ministério das Comunicações, Maximiliano Martinhão, relembrou as iniciativas do governo brasileiro em infraestrutura como passos para a universalização. Mas ele ressaltou o impacto da troca de tráfego internacional – assunto que o Brasil já coloca em pauta desde a Conferência Mundial de Telecomunicações Internacionais (WCIT-12) em Dubai, em 2012. "Os altos custos de interconectividade internacional e os dados alojados distantes (do Brasil) dificultam a redução de preço de acesso e a melhorar a qualidade do acesso ao usuário final", declarou ele.

O secretário do Minicom destacou iniciativas do governo para promover a infraestrutura, notadamente o Banda Larga Para Todos, os cabos submarinos que vão ligar o País à África e à Europa, e o projeto Amazônia Conectada, que passará 7 mil km de fibra nos leito de rios amazonenses. "Queremos mais, queremos compartilhar e aprender com outras experiências. Estamos abertos ao debate, empenhados para identificar os gargalos e expandir a conectividade mundial", declarou Martinhão durante abertura de debate que discutiu o documento "opções de políticas para conectar o próximo bilhão" de pessoas, que estabelece abordagem multissetorial e "boas práticas".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.