Claro vai cumprir metas da área rural com 3G, mas quer alívio na cobertura

A Claro, que foi a companhia que ficou com as metas mais pesadas de cobertura da área rural, já que deverá levar o serviços para toda a região Norte, apresentou à Anatel um plano para usar a frequência de 850 MHz para levar o serviço de voz e dados em vez de usar a faixa de 450 MHz. Além disso, e mais importante, vai oferecer na área rural um serviço mais veloz do que aquele previsto pelo edital. Em vez de uma conexão de dados de 256 kbps, vai levar 1 Mbps – mesma velocidade oferecida pela banda larga móvel em HSPA nas áreas urbanas.

As vantagens oferecidas pela operadora para os clientes da região, entretanto, terão uma contrapartida. A superintendência de controle de obrigações da Anatel analisa um pedido da empresa de redução da área de cobertura de 30 km, conforme prevê o edital. Acontece que, no Norte, esses 30 km podem abranger diversas áreas de rios e florestas. “A Claro tem um pedido aqui: ‘eu sou obrigada a cobrir a floresta Amazônica?’. ‘Onde não tem ninguém eu tenho que cobrir?’. É isto que nós estamos analisando”, afirma o superintendente de controle de obrigações da agência, Roberto Pinto Martins.

Há cerca de um mês, o ministro Paulo Bernardo em audiência pública na Câmara dos Deputados, mencionou que acreditava que as empresas iriam levar o serviço móvel nas áreas rurais, mesmo não sendo obrigadas a fazê-lo. Segundo informações do ministro na ocasião, a região Norte tem cerca de 12 mil localidades. De acordo com o superintendente Roberto Martins, as empresas podem optar por qual serviço elas levarão a telefonia e a banda larga às áreas rurais. A Claro optou pelo SMP tanto no Norte quanto na região metropolitana de São Paulo (DDDs 11 e 12) e a Bahia. A Oi, que ficou com o Rio Grande do Sul, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso; optou pelo STFC e SCM. A TIM informou à Anatel que vai usar os três serviços (SMP, STFC e SCM) para atender os estados de Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Já a Vivo vai atender a área rural do interior de São Paulo com o SMP e no Nordeste (menos Bahia) e Minas vai usar o STFC e o SCM.

A cobertura da área rural começa em junho do ano que vem, quando as empresas terão de cobrir 30% dos municípios das suas áreas; depois, até dezembro do ano que vem, esse percentual deve ser elevado para 60%; e, por fim, 100% até dezembro de 2015.

2,5 GHz

A Anatel também analisa um pedido da Claro de utilizar a faixa de 1,8 GHz para cumprir os compromissos da faixa de 2,5 GHz. Segundo apurou este noticiário, a posição da procuradoria sobre o pedido é de que o edital é específico ao estabelecer que as metas devem ser cumpridas com a faixa de 2,5 GHz. No caso da faixa de 450 MHz, entretanto, não existe essa vedação, ou seja, as metas podem ser cumpridas com outra faixa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.