Muito além de processos e tecnologia – LGPD é mudança cultural

vice-presidente de Finanças, Relações com Investidores e Jurídico da Algar Telecom

Não é novidade que a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) tem demandado uma série de adaptações por parte de companhias de todos os portes e setores. Na Algar Telecom, começamos esse percurso no início de 2019 e hoje, com a jornada de adequação à lei concluída desde setembro de 2020, posso afirmar que uma das principais lições aprendidas é: a LGPD é um caminho que passa inevitavelmente por tecnologia e processos, mas que envolve, acima de tudo, pessoas e uma mudança cultural das empresas e de toda sociedade. Todos precisam compreender que, basicamente, a lógica do mundo será outra a partir de agora.

De fato, são muitas e por vezes complexas as etapas necessárias para cumprir a nova legislação. É um processo de evolução contínua, de atenção e aprendizado diários – e que não se sustenta por si só se não compreendermos a importância das pessoas. Negligenciar que essa mudança envolve prioritariamente "gente" pode, sem dúvida alguma, colocar as empresas em risco. Por isso, é preciso dedicar grande parte do tempo e dos recursos em capacitação e conscientização. Trabalhar todas as questões técnicas vinculadas à LGPD é fundamental, assim como o que se espera de cada indivíduo em mudança de comportamento.

Frente a essa necessidade, desenvolvemos uma série de conteúdos para abordar os principais temas da nova legislação e engajar nossos colaboradores. Ao final, conseguimos chegar a quase 100% dos associados (como chamamos os nossos colaboradores) ativos treinados nos quesitos básicos da LGPD, inclusive com materiais diferenciados conforme o escopo e a abrangência de cada função dentro da empresa e os seus impactos na privacidade de dados pessoais.

Notícias relacionadas

Porém, reforço que, quando se trata de LGPD, não basta pensar apenas dentro de casa. As adequações tecnológicas e processuais, assim como a mudança cultural, devem alcançar também todos os fornecedores e parceiros que lidam com os dados da empresa. É claro que mudar nunca é fácil. A jornada de adequação à LGPD é sim longa, complexa e exige grandes investimentos por parte de uma empresa de grande porte, principalmente quando se coloca o compromisso de ir além do que o cliente espera e a lei solicita. Mas certamente é muito mais fácil quando temos fortalecidos valores, propósito e uma cultura de transparência, com pessoas informadas e genuinamente engajadas com o processo. Sem isso, de nada adianta apostar em novos processos e tecnologias.

*-Sobre o autor – Tulio Abi-Saber vice-presidente de Finanças, Relações com Investidores e Jurídico da Algar Telecom. As opiniões manifestadas neste artigo não representam  necessariamente as posições de Teletime.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.