Publicidade
Início Newsletter Compromisso 5G em estradas é impossível sem roaming local, afirma Brisanet

Compromisso 5G em estradas é impossível sem roaming local, afirma Brisanet

Foto: Josh Sorenson/Pexels.com

O pleito da Brisanet sobre a possibilidade de uso das redes de concorrentes em roaming local fora das capitais foi questionado pelo conselheiro da Anatel, Carlos Baigorri, nesta sexta-feira, 11.

No evento Inovatic, a operadora cearense defendeu que, sem o mecanismo, compromissos do leilão 5G para cobertura em estradas federais são impossíveis para provedores regionais. Já o representante da reguladora afirmou que a Anatel não deveria tornar o roaming local uma obrigação.

“Essa é uma facilidade não prevista para dentro da própria área de prestação da empresa”, afirmou Baigorri. Segundo ele, caso a Brisanet ganhe o bloco regional do Nordeste e inicie a construção de redes em Fortaleza, clientes que forem a Sobral (CE) só terão acesso a serviços móveis em caso de negociação comercial da operadora com as grandes.

Notícias relacionadas

“Vamos trabalhar para impedir que condutas anticoncorrenciais sejam perpetradas, mas nosso papel não é impedir que vantagens competitivas sejam de forma legítima exploradas”, argumentou o conselheiro.

Por sua vez, o CEO da Brisanet, José Roberto Nogueira, afirmou que o roaming local é necessário para cobertura de compromissos 5G e que a empresa também buscará a inclusão do conceito no Regulamento de Uso de Espectro (RUE), em revisão pela Anatel.

Com foco na faixa de 3,5 GHz para o leilão de 5G, a Brisanet afirmou que, caso o 700 MHz não seja arrematado em primeira rodada e fique disponível para operadoras regionais, a aquisição seria interessante – desde que com a possibilidade do roaming local.

“No Nordeste o 700 MHz traz compromissos gigantes. São 11,6 mil km de estradas federais, com coberturas em lacunas e falhas. Caso não tenha a opção do roaming, vai ser um problema”, afirmou Nogueira.

O empresário também notou que um ágio grande pode acabar dificultando a participação de regionais na disputa. “Se ele elevar, não fecha as contas mesmo pra empresa com grande capilaridade”.

Compromisso justo

De forma geral, o CEO da Brisanet destacou a importância de compromissos robustos no leilão de 5G, os quais considerou justos e necessários para aprovação do certame pelo Tribunal de Contas da União (TCU). A Anatel propõe que 90% do valor do espectro seja pago em compromissos, exceto para a faixa de 26 GHz, que não tem obrigações.

Nogueira afirmou que as obrigações para os blocos regionais alcançam o “osso do osso” de cidades pequenas, mas destacou que as empresas que tem atuado com a expansão da rede de fibra óptica já têm grande experiência atuando em mercados pouco assistidos.

“Para pequenos e ISPs, o 5G é complemento de rede em cidades pequenas, distritos e vilas. Nos primeiros anos é banda larga“, afirmou o CEO da empresa regional – que está abrindo capital. Já para aplicações como Internet das Coisas (IoT), Nogueira só vê potencial para provedores regionais em alguns anos.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile