Sindisat diz que Telebras tenta tirar foco da discussão sobre contrato com Viasat

Foto: Pixabay / Pexels

O Sindicato Nacional de Empresas de Telecomunicações por Satélite (Sindisat) voltou a se pronunciar sobre o caso da suspensão do acordo entre Telebras e Viasat por decisão judicial. Em resposta à matéria publicada no Valor Econômico nesta sexta-feira, 11, a entidade patronal rebateu o argumento da Telebras de que os processos judiciais seriam uma "tática de guerrilha comercial". Em abril, as duas empresas disseram que se tratava de tentativa da concorrência de barrar o acordo.

Segundo o Sindisat, a argumentação seria apenas uma tentativa de "desviar o foco da discussão". E lembra que duas instâncias do judiciário e parecer da Procuradoria-Geral da República já se pronunciaram contra o contrato da estatal com a empresa norte-americana.

O sindicato argumenta ainda que apenas "pleiteia (…) transparência e um modelo de condições iguais", referindo-se às acusações de que a Telebras teria oferecido à Viasat condições diferentes no contrato ao que foi colocado no leilão de 2017 para a capacidade do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicação (SGDC). Esse foi o mesmo entendimento da PGR, mas negado pelo presidente da estatal, Jarbas Valente.

Notícias relacionadas

Confira abaixo a nota na íntegra:

Sobre as últimas declarações da Telebrás segundo as quais os processos judiciais envolvendo a contratação da ViaSat seriam uma "tática de guerrilha comercial", o Sindisat (Sindicato Nacional de Empresas de Telecomunicações por Satélite) esclarece que tal argumento procura apenas desviar o foco da discussão – que se resume à existência de fortes indícios de ilegalidade na contratação. Este fato foi reconhecido por duas instâncias do judiciário e pela Procuradoria Geral da República. O que o Sindisat pleiteia é transparência e um modelo de condições iguais para todos em sintonia com as transformações que se pretende para termos um Brasil cada vez melhor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.