Operadoras buscam profissionais mais qualificados para atuar no 5G, diz empresa

Com a implementação do 5G, houve um aumento de busca de mão-de-obra qualificada em redes de telecomunicações. Dados da plataforma Catho mostram que o setor de tecnologia teve um aumento de demanda de 600% em 2020. Um outro relatório da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação afirma que o déficit de profissionais qualificados pode chegar a 260 mil até 2024.

Mas especificamente no mercado de telecomunicações brasileiro a dificuldade tem sido sentida mais fortemente agora. Segundo Cláudia Gusukuma, gerente de Recursos Humanos da provedora Eletronet, as empresas vencedoras do leilão 5G têm sondado os profissionais da área com salários atrativos. "As operadoras vencedoras do leilão do 5G estão oferecendo salários maiores que os praticados no mercado, tirando os bons profissionais das empresas e dificultando as contratações para as empresas menores", explica.

Outro estudo recente feito com 9.864 profissionais no mundo realizado pelo Boston Consulting Group (BCG) e The Network revelou que 93% dos funcionários de tecnologia de empresas latino-americanas entrevistados esperam trocar de empresa nos próximos dois ou três anos. Além disso, 64% já buscam ativamente por novos empregos.

Notícias relacionadas

Segundo Gusukuma, as dificuldades nas contratações se concentram principalmente nos profissionais de cargos mais técnicos como analistas de redes, técnicos de operações e técnicos de telecomunicações, que exigem maior conhecimento da tecnologia. "Para superar esse desafio de contratação, as empresas precisam apresentar atrativos que as façam concorrer de igual para igual com as grandes empresas de Telecom", destaca.

Quanto à qualificação profissional, Cláudia Gusukuma destaca que uma experiência interna que vem dando resultados rápidos e positivos é o fato da empresa investir continuamente na contratação de uma equipe técnica experiente e com boa formação profissional, o que possibilita a disseminação do conhecimento para os colaboradores mais jovens.

"O compartilhamento do conhecimento faz parte da nossa cultura organizacional. O conceito dos multiplicadores internos foi uma maneira eficaz que encontramos para manter as equipes engajadas, estreitar o relacionamento entre os colaboradores e promover a troca de experiências entre os times, trazendo ganhos para toda a organização e clientes", reforça a gestora de RH.

A questão da qualificação de mão-de-obra para o 5G também é uma preocupação da Federação Nacional de Call Center, Instalação e Manutenção de Infraestrutura de Redes de Telecomunicações e de Informática (Feninfra). Vivien Suruagy, presidente da entidade, estima que nos próximos anos, o mercado de TIC tem a previsão de contratar 1,2 milhão de profissionais. Isso porque com a chegada do 5G, combinada com a necessidade de implantação de infraestrutura pelo País, existirá uma alta demanda por mão-de-obra. Por isso, é preciso formar pessoas para esses postos de trabalho.

1 COMENTÁRIO

  1. As empresas querem que o técnico tenha certas qualificações que nem é necessário para o trabalho em campo a exemplo a nova empresa de redes neutras que já está no mercado a v.tal da uma conferida lá nas vagas, empresa nova com monte de cargo a nível sênior, técnico de Telecom com inglês avançado, empresa que é envolvido com a Oi não tem jeito é e sempre será cabide de emprego, má gerida, e as oportunidades são para amigos e indicações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.