2010 será o ano da rentabilização do acionista, acredita Oi

Na opinião do diretor de planejamento estratégico da Oi, João de Deus Pinheiro de Macedo, em 2010 não só a Oi mas o mercado como um todo começará a rentabilizar os seus acionistas. O executivo explica que até agora todo o caixa gerado pelas operadoras móveis foi reinvestido ou usado para diminuir a dívida. "Acredito que em 2010 começa um novo ciclo".
O executivo listou uma série de realizações da companhia em 2009, sendo que a principal foi a integração não apenas das redes, mas também entre as culturas da Brasil Telecom e da Oi em que os melhores talentos das duas empresas foram aproveitados. "2009 foi um ano de carga pesada. Juntamos as duas companhias, estendemos a operação móvel para São Paulo, onde já temos 4 milhões de clientes e uma participação de 11% do mercado", afirmou, ressaltando que a operação foi contruída do zero. O estado de São Paulo superou os 100% de penetração, feito que a Oi acredita ter sido responsável. Antes da entrada da Oi, o estado de São Paulo tinha uma penetração inferior que outros estados menos ricos.
João de Deus disse que a cobertura móvel da região da Brasil Telecom teve um aumento de 30% a 40%, e destacou a concentração do core da rede em um único fornecedor e múltiplos fornecedores na rede de acesso. "Assim diminuímos a interface tecnológica no core e criamos competição nas pontas", explica ele. João de Deus também mencionou a extensão do modelo de venda de chip alone para a região II, o crescimento acelerado do nível de ocupação da rede 3G e a cresça da companhia que a banda larga pela rede 3G não é uma solução para acesso fixo. "Pelo custo e pelas limitações do espectro, não parece compatível com a possibilidade de banda larga de forma fixa", afirma. O executivo foi ouvido no Fórum Telequest que aocnteceu nesta quinta, 10, em São Paulo.

Notícias relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.