Rezende pede discussão para rentabilizar infraestrutura frente aos conteúdos OTT

Os presidentes das operadoras de telecom presentes no debate de abertura do Painel TELEBRASIL nesta quarta-feira, 10, evitaram abordar alguns assuntos, como a participação no iminente leilão de 700 MHz para o 4G. O presidente da Anatel, João Rezende, contudo, chamou a atenção para outro tema deixado de lado: a pressão do alto volume de dados trafegados por serviços de conteúdo over-the-top (OTT).

"Tem o debate não resolvido dos provedores de conteúdo pressionando as redes. Como quem constrói a rede pode se beneficiar do tráfego de dados? Temos de avançar nessa discussão", enfatizou o presidente da agência. Para ele, é possível encontrar uma forma de as operadoras de telecom, que são as responsáveis por construir as redes de banda larga que suportam esses serviços OTT, se beneficiem do aumento de tráfego.

O presidente da TIM Brasil, Rodrigo Abreu, concorda. "(As redes de banda larga) abriram uma porta de geração de valor sem igual (para as OTTs) e é importante lembrar que a indústria se preparou muito para atuar com essa infraestrutura e daqui para a frente é preciso dar o valor correto a ela. Não existe a inovação gigantesca na parte de cima se a infraestrutura não estiver na parte de baixo com investimento sustentável".

O presidente da Telefônica/Vivo, Antonio Carlos Valente, por sua vez, lembrou que há três anos a operadora resolveu direcionar sua estratégia para virar uma "telco digital" e capturar valor na cadeia over-the-top. "Além de implementar redes de fibra e 4G, passamos a desenvolver também produtos de saúde, educação, conectividade veicular e serviços financeiros que venha adicionar valor ao negócio tradicional".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.