Publicidade
Início Newsletter Na Cúpula da Amazônia, governo brasileiro assina compromissos de conectividade

Na Cúpula da Amazônia, governo brasileiro assina compromissos de conectividade

O governo brasileiro, juntamente com lideranças dos oito países que compõem a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), reunidos na Cúpula da Amazônia, aprovaram a Declaração de Belém, na qual compartilham compromissos e prioridades para enfrentarem, em conjunto, o desafio da proteção integral da região, ao mesmo tempo em que atuam para combater a pobreza, desigualdades e promover o desenvolvimento sustentável.

No documento, que contém mais de 100 parágrafos, está prevista a cooperação entre estes países para promover a inclusão tecnológica, a eliminação dos hiatos digitais e a capacitação.

Os países que integram a OTCA também se comprometeram com o desenvolvimento sustentável e o apoio ao monitoramento ambiental, inclusive em matéria regulatória para mapeamento conjunto de infraestruturas e de demanda de conectividade, com a criação de novos pontos de interconexão e coordenação sobre o uso de faixas de frequências de espectro.

Notícias relacionadas

A certificação de equipamentos para proteção pública, monitoramento de desastres, segurança e sensoreamento remoto também está como um compromisso firmado a ser executado entre os países, assim como, o incremento no uso de satélites para conectividade e mapeamento da região como um todo.

Por fim, a questão da energia elétrica na região também está como um dos compromissos firmados pelos países. A proposta que consta no documento prevê o aprofundamento das iniciativas existentes de integração e fortalecimento de sistemas elétricos para localidades isoladas dos países signatários, bem como identificar novos projetos de geração e de interconexão elétrica e novos modelos energéticos limpos, de forma a promover o acesso à energia, segurança energética, desenvolvimento sustentável e a integração da região, com vistas ao pleno aproveitamento de complementaridades dos diferentes recursos de cada país.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile