Comissão da América Latina propõe agenda digital para a região

Aos moldes da Comissão Europeia, a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) propõe uma nova agenda digital conjunta para a região pelos próximos três anos, a eLAC2018. Representantes de 17 países e membros da sociedade civil, setor privado e comunidade técnica aprovaram um documento durante conferência na última sexta-feira, 7, no México, para fomentar a economia digital com foco no acesso e desenvolvimento de infraestrutura.

No evento foi apresentado relatório dos avanços em diferentes estágios pela América Latina, enfatizando "fortes atrasos em relação às economias desenvolvidas". Diz ainda que o desenvolvimento na região enfrenta problemas relacionados à estrutura econômica, com capacidade de produção de equipamentos, software e aplicativos "muitos frágeis" e concentradas em "dois ou três países".

O relatório diz ainda que há atraso na implantação de 4G e de fibra ótica na região. "Superar este problema implica esforços de investimento e coordenação que poderiam ser potencializados mediante um mercado digital regional único." A Cepal ressalta, no entanto, que houve progresso: a penetração de acesso à Internet calculada sobre a população da região saiu de 20,7% em 2006 para 50,1% em 2014.

Notícias relacionadas

Originada em 2005, a agenda digital já teve três fases (de 2005 a 2007, 2008 a 2010 e 2011 a 2015). A eLAC2018 será apresentada na Cúpula Mundial da Sociedade da Informação (CMSI), que acontecerá durante Assembleia Geral da ONU no final deste ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.