BrT recorre de liminares no PR, SC e RS

A Brasil Telecom (BrT) optou por não aguardar a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e está indo diretamente à Justiça dos Estados para recorrer contra as liminares que impedem a implantação dos reajustes homologados pela Anatel. O STJ se manifestará nos próximos dias sobre a ação de conflito de competências movida pela Telemar no último dia 4, e deve indicar um juízo único para julgar as ações contra o reajuste das tarifas de telefonia, com o objetivo de evitar decisões contraditórias sobre a mesma questão, a partir dos diferentes instâncias estaduais e federais do País. Também a Brasil Telecom e a Telefônica entraram na segunda-feira, 7, com uma ação de conflito de competência do STJ.
Independente da decisão do STJ, que pode sair nesta sexta-feira, 11, a BrT recorreu das liminares nos Estados do Sul do País. O primeiro agravo de instrumento foi interposto no Tribunal de Justiça de Santa Catarina na quarta, 9, no início da noite, e ficará a cargo do desembargador da Câmara de Férias Civil, Sérgio Izidoro Heil. Outros dois agravos de instrumento deram entrada nesta quinta, 10, nos Tribunais de Justiça do Paraná e do Rio Grande do Sul. Não há previsão para o julgamento dos recursos.

Liminar mantida

Notícias relacionadas

Na tarde da terça-feira, 8, o juiz plantonista da 1ª Vara da Fazenda Pública da Justiça do Distrito Federal e Territórios, Carlos Frederico Maroja de Medeiros, concedeu liminar ao Ministério Público e ao Procon do DF determinando que a BrT se abstenha de fazer ?qualquer aumento nas tarifas públicas de serviços de telefonia, no âmbito do Distrito Federal?, sob pena de multa de R$ 200 mil por dia em caso de descumprimento. A Brasil Telecom informou por meio de sua assessoria de imprensa que já foi notificada, mas ainda não recorreu da decisão de primeira instância.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.