Publicidade
Início Newsletter São Paulo quer ampliar pontos de WiFi público a partir de PL...

São Paulo quer ampliar pontos de WiFi público a partir de PL das antenas

A Prefeitura de São Paulo espera um salto nos pontos de acesso do programa WiFi Livre SP em caso de aprovação, pela Câmara Municipal, do projeto de lei do Executivo (347/2021), que revê a lei das antenas da cidade.

Em entrevista ao TELETIME, o secretário paulistano de Inovação e Tecnologia, Juan Quirós, apontou expectativas da pasta para o programa de WiFi público a partir da aprovação do PL. Com 1.088 pontos de acesso ativos atualmente, o WiFi Livre SP tem meta de alcançar 20 mil pontos até o fim de 2024.

“Temos quatro anos para isso, o que dá 5 mil pontos de acesso por ano. Esse ano precisamos encerrar com 5 mil em funcionamento e acreditamos que, com a aprovação do PL, isso nos dará flexibilidade para um avanço até mais rápido”, afirmou Quirós nesta quinta-feira, 10.

Notícias relacionadas

“É preciso infraestrutura para o WiFi. Tendo [novas ERBs e mini ERBs], naturalmente colocaremos mais pontos”, completou o secretário, destacando a atual dificuldade para instalações em bairros distantes do centro.

Para a expansão, conversas com operadoras além das três parcerias da Prefeitura já estariam em curso. “Tivemos reuniões para discutir o aproveitamento de pontos das empresas, incluindo com a Telefônica. A Claro, por exemplo, tem mais de 1,5 mil pontos para seus clientes. Estamos em tratativas para disponibilizá-los através do WiFi Livre“.

Prioridades

O PL das antenas tem como um dos destaques a criação de áreas prioritárias para instalação de antenas: para cada estrutura instalada em bairros centrais, outra deveria ser fixada nas regiões.

“Não há como discutir áreas prioritárias que não sejam as mais carentes”, afirmou Quirós, sem adiantar quais bairros poderiam receber tal status. Pelo PL, a definição de áreas prioritárias deve ocorrer em decreto posterior, em ponto já questionado por alguns vereadores.

Na justificativa enviada à Câmara junto ao projeto, a Prefeitura, contudo, cita distritos identificados pela secretaria de Educação como exemplos de déficit preocupante na cobertura. Eles são: Grajaú, Sapopemba, Parque do Carmo, Brasilândia, Lajeado, Jardim Helena, Vila Jacuí, José Bonifácio, Cidade Tiradentes e Iguatemi.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile