Receitas globais com vídeo OTT podem ultrapassar os US$ 20 bilhões em 2015

As receitas globais de serviços de vídeo over-the-top (OTT) como Netflix, Hulu, iTunes e Amazon tiveram um crescimento anual de 60% em 2012 e somaram ao final de dezembro mais de US$ 8 bilhões, segundo estimativas da ABI Research. E com um número cada vez maior de eletrônicos de consumo e dispositivos móveis conectados, esse montante pode ultrapassar os US$ 20 bilhões já em 2015.

Nas regiões da América do Norte, Europa e Ásia-Pacífico – os três maiores mercados para vídeo OTT– o crescimento da receita no ano passado ultrapassou os 50%. Já os modelos de negócios variam. Na América do Norte, por exemplo, o modelo mais popular é o de assinatura de serviço. Segundo dados da ABI, em 2012 cerca de 58% das receitas de vídeo OTT vieram de serviços de assinaturas, mas esse percentual deve ser reduzido para 32% até 2018, com uma maior difusão de outros modelos de negócio, como o pagamento por evento.

O diretor da ABI, Sam Rosen, avalia que o setor de TV por assinatura ainda tem grandes força e valor, mas ressalta que os fatores que impulsionarão uma mudança na forma de o usuário consumir conteúdos já estão claros. "Seja pela expansão para mercados internacionais da Netflix ou com (as emissoras de TV aberta) ABC e CBS melhorando seus serviços de catch-up, os tijolos que reestruturarão como, quando e onde os consumidores assistirão conteúdos estão começando a dar forma a um novo futuro. Futuro este, entretanto, que não é desprovido dos meios tradicionais de comunicação nem é uma questão de novos meios necessariamente vencedores, mas sim uma redistribuição da riqueza na cadeia de valor".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.