Próximo presidente da CCT do Senado não vê necessidade de mais discussão sobre o PLC 79/2016

O próximo presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, Otto Alencar (PSD-BA), que relatou o PLC 79/2016 na Comissão Especial de Desenvolvimento Nacional, não vai pedir novo debate da matéria, nem vai trabalhar para que a proposta, parada na Mesa Diretora do Senado, tenha andamento. "O Supremo [Tribunal Federal] que interviu incorretamente no Senado, que julgue [se vai para o plenário ou para sanção] ou guarde na gaveta. Eu não tenho interesse pessoal na matéria. Só acho que as concessões estão empobrecendo e impedindo investimentos em banda larga, em over-the-top e telefonia móvel, necessárias para o País", disse.

A proposta permite a migração das concessões da telefonia fixa, serviço que vem perdendo importância, para o regime de autorização e troca os bens reversíveis por investimentos em banda larga, especialmente em cidades onde não existe oferta do serviço por falta de infraestrutura. "Em nenhum momento o projeto fala em perdão de multas, como insiste a oposição, que ficou seis dias com o PLC no gabinete e, pelo visto, não leram nada", desabafou.

Alencar disse que o projeto foi aprovado dentro das regras do regimento interno, como muitas outras. Ele lembra que os recursos apresentados estavam irregulares e, mesmo que se estivessem corretos, pediam apenas para que a proposta fosse apreciada no plenário. Para ele, não cabe mais discussão da matéria na CCT.

O PLC 79 chegou a ser mandado para a sanção presidencial, mas teve que voltar ao Senado por força de liminar obtida pela oposição no STF. A decisão mandava que fossem apreciados os recursos para que o projeto fosse apreciado no plenário.

CCT

A eleição do presidente da CCT está marcada para quarta-feira da próxima semana, às 8h30. Alencar disse que fará o levantamento de todas as proposições que tramitam na comissão para que possa estabelecer prioridades. Para isso, promete ouvir todos os integrantes do colegiado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.