Até o 2G cresceu na base de celular em novembro; números de 5G DSS são revistos

Foto: Pixabay

Com exceção do 3G, todas as tecnologias de celular, inclusive o 2G, cresceram em novembro, de acordo com dados divulgados pela Anatel e analisados por TELETIME. Mas o que se identificou como principal tendência foram as mudanças retroativas que a agência fez nas bases de meses anteriores, chegando até a retirar completamente uma empresa, a Claro, no 5G-DSS de outubro.

No 4G, pouca mudança em novembro na participação de mercado. A Claro teve uma correção (de 51,9 milhões para 52,6 milhões de acessos) na base de outubro, mas ainda assim, houve um avanço líquido maior do que as demais teles, com 325,5 mil adições, aumento de 0,62% e total de 52,962 milhões de chips na tecnologia. A Oi registrou o maior crescimento proporcional (1,03%, ou 320,5 mil adições líquidas) e ficou com 31,580 milhões de linhas. 

A Vivo continua a líder, com 61,218 milhões de acessos, aumento de 0,10% no mês. TIM teve o mesmo crescimento, fechando o mês com 46,174 milhões de chips. Já os provedores regionais apresentaram aumento de 0,41%, somando em grupo 4,285 milhões de acessos. Somando todas as operadoras, a tecnologia 4G tem 77,83% do mercado nacional de celular, com 196,211 milhões de linhas nessa tecnologia

Notícias relacionadas
Fonte: Anatel

Curiosamente, a tecnologia mais nova e a mais velha apresentaram comportamento incomum em novembro, mesmo considerando que as bases de outubro foram revisadas em ambos os casos. No caso do 2G, houve um crescimento de 432,3 mil acessos, ou 1,61% em apenas um mês, totalizando 27,317 milhões de linhas. Presumindo que não se tenha sido erro, todas as grandes operadoras cresceram no GSM, com exceção da TIM, que desligou 41,4 mil linhas. A Vivo sozinha adicionou 256,3 mil linhas de segunda geração.

O 5G-DSS (ou seja, que utiliza espectro compartilhado com o 4G e em arquitetura de core de rede não standalone) teve a base de outubro revisada de 834,7 mil acessos para apenas 119,6 mil linhas. E em novembro, segundo os dados da Anatel, a tecnologia somou 629,6 mil chips. 

Curiosamente, não há dados da Claro. A operadora tinha começado a reportar os dados nessa tecnologia desde outubro, o que fez com que a base subisse 14,3% naquele mês, mas a agência retirou essas informações. Assim, em novembro, a base da Anatel só apresenta dados da TIM (com 235,6 mil acessos) e da Vivo (com 393,9 mil linhas). 

Pré e pós-pago

A Anatel revisou os dados de outubro, e a base total de celulares no mercado brasileiro saiu de 250,129 para 251,364 milhões de acessos naquele mês. Dessa forma, o crescimento em novembro foi de 0,55%, ou 1,387 milhões de adições líquidas, totalizando 252,752 milhões de linhas móveis

A correção aconteceu em maior parte no pós-pago, que saiu de 131,345 milhões em outubro para 132,553 milhões de linhas. Considerando esse reajuste, a base de novembro nessa modalidade cresceu 0,97% no mês, totalizando 133,835 milhões de chips. Já o pré-pago avançou 0,09% e ficou em 118,917 milhões de acessos no penúltimo mês de 2021. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.