Nokia Siemens terá handover de VoLTE para 3G até 2014

No final de dezembro último, a Nokia Siemens Networks (NSN) conseguiu executar a transferência (handover) de chamada de voz em alta definição (WB-AMR) entre as tecnologias 4G e 3G de maneira seamless, ou seja, de forma suave e quase imperceptível ao usuário. A técnica, executada pela primeira vez com sucesso, foi feita nos laboratórios da empresa em Espoo, na Finlândia, e utilizou terminais com chipsets da Qualcomm. A meta da Nokia Siemens agora é trabalhar para disponibilizar comercialmente a solução. “Nossa expectativa é lançar em nove meses, com o 3GPP deixando disponível no final de 2013 ou começo de 2014”, afirma o head de tecnologia da Nokia Siemens Networks, Wilson Cardoso.

Para ele, o handover era complicado nas chamadas de voz porque o serviço no LTE é baseado em IP. Assim, é preciso que a comunicação de voz IP empacotada como dados seja convertida para o sinal 2G e 3G, mas sem engasgos que prejudiquem a qualidade da ligação. “A questão é como converter de forma rápida para que o usuário não sinta essa transição”, diz. . “É um processo muito mais complicado do que o que havia entre o 2G e o 3G, que tinham o mesmo core de dados”.

A NSN trabalhou com o grupo 3GPP para estabelecer um padrão para o protocolo do handover, que dependia ainda dos terminais compatíveis com a tecnologia. “Agora que saíram os primeiros protótipos de terminais que suportam o handover, conseguimos realizar isso em menos de um segundo”, explica Cardoso, dizendo ainda que o software da transferência que conecta os cores do LTE ao 3G também foi necessário.

Para o Brasil, a solução pode demorar um pouco mais para ser lançada. O problema é que a frequência escolhida para o LTE, de 2,5 GHz, ainda é pouco utilizada no resto do mundo, então o provável é que os primeiros dispositivos compatíveis com o novo protocolo de handover não saiam para a banda utilizada por aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.