Faturamento da indústria de telecom cresce em 2021, prevê Abinee

Foto: Pixabay

O faturamento do setor de telecomunicações, que inclui o mercado de infraestrutura e de celulares, foi de R$ 43,896 bilhões em 2021, de acordo com projeção da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) divulgada nesta quinta-feira, 9. Desta forma, configurou-se um aumento de 12% em relação ao ano passado, mas apenas de 1% desconsiderando os efeitos da inflação.

Do total do setor, houve crescimento de 11% em infraestrutura e 12% considerando os celulares. Ainda assim, a projeção de aparelhos novos no mercado foi 3% menor do que em 2020, com 43,343 mil unidades até dezembro de 2021. 

As projeções para 2022, contudo, consideram um crescimento menor para a infraestrutura, de 5%, mesmo com a previsão da implantação de redes 5G após o leilão da Anatel. A justificativa citada pelo diretor de telecomunicações da Abinee, Aluizio Byrro, da Nokia, é que a pandemia afetou os números do ano passado. "O crescimento deste ano de 2021 foi grande devido ao baixo crescimento do ano passado. E 5% [para 2022] é um baita crescimento", afirma.

Notícias relacionadas

Conforme Byrro destacou, os compromissos de investimentos relacionados ao leilão do 5G não se limitam para 2022, mas também continuarão ao longo dos anos seguintes. Mas o diretor de telecom na associação, Paulo Castelo Branco, afirma que ainda não é possível ter uma perspectiva mais sólida. "A gente não tem muita visibilidade agora com investimentos em 5G da área privada, isso ainda é uma incerteza. Pessoalmente, tenho expectativa de que esse crescimento será maior."

Diretor da Ericsson e 2º secretário da diretoria da Abinee, Tiago Machado coloca que haverá um investimento gradual, com impacto em diversos setores. "Não é corrida de 100 metros, é uma maratona", coloca. Ele lembra ainda que o 5G permitirá uso mais eficiente do espectro, com custo menor por megabit.

Outros indicadores

As exportações no setor de telecomunicações geraram R$ 276 milhões um aumento de 10% Já as importações totalizaram R$ 2,548 bilhões, um aumento de 8%. Entre os produtos mais importados estavam os semicondutores (US$ 5,476 bilhões, aumento de 23%) e os componentes para telecomunicações (US$ 4,885 bilhões, avanço de 10%).  

No geral, a balança comercial da indústria eletroeletrônica ficou com um saldo negativo de US$ 33,823 bilhões, devido à movimentação de US$ 39,45 bilhões em importações (crescimento de 26%) e de US$ 5,63 bilhões em exportações (também 26% de avanço) no comparativo anual. 

Considerando todo o setor eletroeletrônico, o faturamento em 2021 foi de R$ 214,2 bilhões, marca que ficou 24% acima do ano anterior. Descontando os efeitos da inflação, contudo, o avanço "real" seria de 7%. O investimento total foi de R$ 3,642 bilhões, aumento de 25%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.