Veja como anda a adoção das ondas milimétricas na América Latina e Caribe

A adoção do espectro em ondas milimétricas (mmWave) ainda está em fase inicial na maior parte dos países da América Latina e Caribe, mas pode ser impulsionada por disponibilizações pioneiras do recurso para o 5G no Brasil e no Chile.

A avaliação é da 5G Americas, que elaborou relatório sobre o cenário normativo para uso da família de radiofrequências entre 24 GHz ao 86 GHz em países do continente. Veja mais informações sobre o status em cada nação no quadro abaixo:

PaísFaixasStatus
Brasil26 GHz e 39 GHzFaixa de 26 GHz leiloada em 2021; manifestações de interesse para 39 GHz em planejamento.
Chile26 GHz, 28 GHz26 GHz licitada. 28 GHz foi consultada, mas não houve licitação.
Argentina26 GHz e 38 GHz26 GHz e 38 GHz identificadas como "adequadas"
para o desenvolvimento da 5G. Anteriormente
declaradas como reservadas e agora sujeitas à
reordenação.

28 GHz – A reserva da faixa foi levantada e atribuída ao serviço fixo por satélite.

As faixas 37 – 38 GHz e 40 – 40,5 GHz foram
retiradas da reserva e atribuídas ao serviço de
exploração da Terra por satélite.
Colômbia26 GHz, 37-43,5
GHz, 47,2-48,2 GHz
e 66 – 71 GHz
Identificadas para IMT.
Costa Rica26 e 28 GHzConsultado para manifestação de interesse no final
de 2020. Considerado para novos processos de
atribuição.
Equador26 GHz, 37 – 43,5
GHz, 47,2 – 48,2
GHz e 66 – 71 GHz
Identificadas para IMT.
México26 GHz, 40 GHz
(37 – 43,5 GHz) e
48 GHz (47,2 –
48,2 GHz)
Identificadas para IMT.
Panamá26 GHz, 28 GHz, 40
GHz, 66 – 71 GHz.
A atribuição de novas licenças nas faixas de 26 GHz,
28 GHz, 40 GHz e na faixa de 66-71 GHz foi
suspensa nacionalmente para garantir a
disponibilidade do espectro para redes 5G.
Paraguai26 GHzA faixa de 26 GHz foi dentificada para IMT, mas sem
data de leilão.
26 e 28 GHz800 MHz de 26 GHz consideradas para licitação.
Faixa de 28 GHz mencionada como objeto de
estudo.
Porto Rico /
Ilhas Virgens
Americanas
24, 28, 37, 39 e 47
GHz
Atribuídas
República
Dominicana
A definirO 'Plan Maestro de Espectro (2021)' orienta a
liberação de espectro para IMT, incluindo faixas de
ondas milimétricas.
Uruguai26 GHz e 28 GHz28 GHz em uso/testes e 26 GHz para testes.
Fonte: 5G Americas
Notícias relacionadas

"Em termos gerais, a identificação do espectro de banda milimétrica para sistemas 5G na América Latina e no Caribe está em estágio inicial. Na maioria dos casos, nenhuma nova atribuição de banda mmWave foi planejada para sistemas IMT. Nos casos mais avançados, existem novas atribuições, autorizações para uso de espectro pré-existente ou planos de licitação de espectro", resumiu a 5G Americas.

A entidade recordou que o Chile atribuiu blocos da faixa de 26 GHz por cidades nos leilões 5G de 2020-2021. Outra localidade em que os blocos mmWave foram atribuídos por meio de diferentes leilões de espectro foram Porto Rico e as Ilhas Virgens Americanas.

O Brasil, por sua vez, disponibilizou blocos nacionais e regionais de diferentes larguras da faixa de 26 GHz no leilão 5G de novembro de 2021; no momento, as empresas que adquiriram o recurso estão prospectando casos de uso como a banda larga fixa sem fio (FWA). Estudos da Anatel em torno da faixa de 39 GHz também foram mencionados no relatório.

Já anteriormente, em 2019, o Uruguai autorizou o uso das faixas de 27,50–28,35 GHz, mas para outra classe de serviço, apontou a 5G Americas.

Deixe seu comentário