Queda no consumo de telecom deve ser revertida no médio prazo, avalia Vivo

O reflexo da pandemia do novo coronavírus (covid-19) no consumo dos brasileiros ainda está sendo sentido pela Vivo. A operadora tem aberto gradualmente suas lojas, mas observado uma busca mais voltada para pós-venda do que novas compras. Ainda assim, no médio e longo prazo, a perspectiva é de alta na demanda por conectividade, sobretudo na Internet fixa.

Em live promovida pelo jornal Valor Econômica nesta terça-feira, 9, o CEO da operadora, Christian Gebara, lembrou que um impacto negativo já foi registrado pela empresa no balanço do primeiro trimestre. "É verdade que as pessoas estando em casa é positivo para nosso negócio no médio e longo prazo, pois elas criam consciência que ele é essencial, mas isso não significa que vai trazer mais receita para a gente no primeiro momento", afirmou Gebara.

Notícias relacionadas

Segundo ele, ainda que a demanda por Internet fixa esteja crescendo "de maneira bem relevante", a empresa ainda "está sentindo queda no consumo". Uma das razões seria a abertura gradual dos pontos de venda, apenas em locais onde há permissão das autoridades e com horários de funcionamento reduzidos. "Vemos muito mais atendimentos pós-venda do que compras", notou o CEO.

Outro fator foi o fechamento temporário de muitos pontos de recarga do pré-pago, deixando a compra de créditos online como única opção. "Ela ocorre via cartão de crédito, que muitos clientes não têm", lembrou Gebara. No primeiro trimestre, o pré-pago e a venda de aparelhos foram as verticais da Vivo que influenciaram negativamente o resultado.

Roda girando

Questionado sobre o diagnóstico de que o Brasil já estaria passando por uma depressão econômica (como sugerido pelo ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga), o CEO da Vivo afirmou ter uma perspectiva mais positiva sobre o cenário.

"Sou mais otimista. Acho que vamos passar por momentos difíceis, desemprego e impacto nas pequenas e médias empresas, mas apesar do momento mais dramático da crise, o Brasil está acostumado a se reinventar", afirmou Gebara. "Na Vivo, temos obrigação de manter investimentos altos para manter a roda girando".

Evento

No próximo dia 15 de junho TELETIME promove um evento digital com quatro dos principais analistas de mercado que acompanham o setor de telecomunicações, para analisar os impactos da crise do Covid-19 e as perspectiva do setor diante da retração econômica. Participam do encontro Marcos Aguiar (BCG), Suzana Salaru (Itau/BBA), Valder Nogueira (Santander) e Carlos Sequeira (BTG/Pactual). Mais informações sobre o evento pelo site www.teletime.com.br/eventos

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.