Agregadora de SVAs cria gravadora de música

Se as gravadoras estão entrando no mundo do conteúdo móvel, os agregadores de serviços de valor adicionado (SVA) também podem entrar no mercado fonográfico. A Pmovil, dona da marca Toing, decidiu criar uma gravadora no Brasil para lançar bandas novas. Além disso, vai pôr no ar, em abril, um site de relacionamento que abrirá espaço para que qualquer banda disponibilize suas músicas para download. Seria uma espécie de My Space, mas com uma diferença importante: o conteúdo das bandas que se destacarem poderá ser comercializado tanto na web quanto no celular. E a receita será compartilhada com o artista. É mais um exemplo de iniciativa de conteúdo gerado pelo usuário, tendência que ganha força no mundo inteiro.
Em um primeiro estágio, as músicas serão oferecidas de graça para download no site. Um segundo passo será a venda em formato digital pela Web ou até mesmo em cds customizados enviados pelo correio. O preço ainda não está definido, mas deve girar em torno de R$ 1 por música . A receita será dividida com os artistas, que terão direito a 50% do faturamento líquido com as vendas.
As bandas que mais se destacarem seguirão para um terceiro estágio, que é a adaptação de suas músicas para a venda no celular em forma de ringtones, truetones e fulltracks. Por fim, algumas serão convidadas a firmar contrato com a gravadora da PMovil.
O site, batizado de ?My Toing?, será lançado também na Argentina e no Chile. Além do espaço para as bandas criarem suas páginas e disponibilizarem suas músicas, haverá ferramentas de relacionamento. ?Não queremos ser apenas uma prateleira de música digital. Queremos fazer diferente?, explica o CTO da PMovil, Kleber Tolezani. Só no Brasil, a empresa investirá R$ 500 mil no projeto ?My Toing?.

Festival

Paralelamente, a PMovil prepara um investimento de R$ 200 mil em mídia a partir deste mês para divulgar a marca Toing em rádios e TVs. O executivo ressaltou que não está descartada a inclusão de conteúdo de bandas grandes no site. Isso será negociado com suas respectivas gravadoras.
Para promover o lançamento do ?My Toing?, a Pmovil organizará um festival de bandas independentes chamado ?Toing Music?. Entre junho e outubro haverá shows em pelo menos cinco cidades: Porto Alegre, Belo Horizonte, São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro. Em cada uma delas se apresentarão seis bandas.

Editoras

A iniciativa da Pmovil faz bastante sentido quando se analisa a realidade do mercado brasileiro de música no celular. No Brasil, as editoras ficam com 10% da receita bruta dos ringtones a título de pagamento de direitos autorais. Além disso, criaram uma ?taxa de armazenamento?, que cobra R$ 400 por cada música que um agregador decida transformar em ringtone.
No mercado de truetones e fulltracks, é preciso dividir a receita também com as gravadoras. Como se não bastasse, no fulltrack as editoras pedem 12% da receita bruta por direitos autorais, o que limita o portfólio de músicas oferecidas pelas operadoras.
Bandas independentes não têm gravadora e nem editora, o que torna seu conteúdo significativamente mais barato. Além disso, tem se multiplicado o número de bandas independentes que, graças à divulgação via Internet, são alçadas ao sucesso sem ter sido necessário gastar um tostão em marketing.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.