CPqD sugere uso de TSS para comunicação de deficientes

O uso da tecnologia de text-to-speech (TSS), que transforma texto em fala, pode ser uma ferramenta importante a ser usada pelo Governo para garantir o acesso de deficientes auditivos e visuais a serviços de telecomunicações e à educação. Essa vai ser a principal bandeira levantada pelo representante do CPqD no recém criado Comitê de Ajudas Técnicas, órgão ligado à Secretaria Especial de Direitos Humanos que tem como objetivo contribuir com sugestões técnicas para a melhoria da vida de pessoas com deficiências.
?A tecnologia de text-to-speech poderia ser utilizada para permitir ligações telefônicas de pessoas com deficiência auditiva, a partir de aparelhos especiais, para pessoas não surdas?, sugere Julio Martorano, diretor do CPqD e membro do comitê. Outra idéia que irá apresentar é o uso da TSS em computadores utilizados por alunos com deficiência visual ? seguindo um modelo praticado por um projeto chamado ?Letra?, em que essa tecnologia foi aplicada na tradução de livros didáticos para crianças cegas. Martorano entende que os computadores da rede pública que serão comprados com dinheiro do Fust poderiam já incluir uma ferramenta com TSS.
O Comitê de Ajudas Técnicas foi criado no fim do ano passado e é composto por 37 membros de diferentes áreas do conhecimento. As reuniões serão bimestrais. Em dezembro, no primeiro encontro do grupo, foi definida uma agenda comum. A próxima reunião está marcada para os dias 8 e 9 de fevereiro em Brasília.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.