Rio permitirá reconhecimento facial com mandado judicial

Luca Siqueira – Diretor de Tecnologia da ABCIP | Credito: 5×5 TEC Summit

Na cidade do Rio de Janeiro, um projeto em andamento de Parceria Público-Privado (PPP) utilizará câmeras de reconhecimento facial. Porém, esses dados só poderão ser acessados mediante mandato judicial, contou o diretor de Tecnologia da ABCIP (Associação Brasileira das Concessionárias Privadas de Iluminação Pública), Luca Siqueira, no evento 5×5 Tec Summit hoje, 8.

O projeto de iluminação inteligente do Rio teve início em 2020 e conta com participação das empresas High Trend e Green Luce, Arc, Salberg S.A. e Proteres Participações. A parceria implantará diversos sensores no município, que vão desde bueiros a sistemas de wi-fi.

Segundo o diretor Siqueira, os dados capturados pela câmera serão enviados via fibra óptica para uma central de controle de operações na capital do Rio. As análises e operações irão ocorrer dentro de uma sala segura, onde todas as mudanças e movimentos ficarão registradas. "Ou seja, você tem um mecanismo de identificação se alguma fraude ou vazamento aconteceu", diz.

Notícias relacionadas

Outros projetos de cidades inteligentes acontecendo pelo Brasil envolvem câmeras ligadas ao sistema de telegestão. Nesse caso, não há transmissão das imagens, mas sim de eventos, já que a banda de transmissão é pequena. Equipadas com inteligência artificial, as câmeras serão capazes de informar o local preciso e o tipo do incidente. "Essa é uma maneira também de proteger os dos de indivíduos."

5G e antenas

ntenas 5G poderão ser instaladas em postes de iluminação, postes mais altos de energia e, eventualmente, em prédios baixos. Conforme o presidente da Inova e consultor de inovação na Hightrend Brasil, Robson Oliveira, as telcos, juntamente com a Anatel e empresas com redes de postes, já estão trabalhando há um ano e meio para criar uma regulamentação sobre o assunto.

"O importante é que isso está sendo regulado e já está bastante adiantado com a Anatel e alguma coisa com a Enel. Mas já está havendo um grande conjunto de informações e reuniões sobre entre as telecom, Anatel e alguns parceiros que possuem área de rede na cidade", analisa Oliveira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.