Porto de Santos recebe estudo sobre rede de Internet das Coisas dedicada

Créditos: Divulgação

A operadora móvel virtual NLT apresentou à Santos Port Authority (SPA) um estudo sobre a possibilidade de implantação de uma rede LoRa dedicada a usos de Internet das Coisas (IoT) no Porto de Santos (SP).

A avaliação, realizada em parceria com as empresas Everynet e American Tower, atende ao edital do chamamento público nº 01/2021 da SPA, lançado em janeiro e que tem como objetivo identificar condições de mercado, engenharia e legalidade para implantação dos recursos de IoT em toda a área do porto paulista e seus terminais.

Resultados do uso da tecnologia em grandes portos do mundo (como os de Rotterdam, Cingapura e Hamburgo) foram levados em consideração pela NLT e as parceiras. Em Santos, uma otimização de rotinas logísticas é projetada a partir do uso dos recursos.

Notícias relacionadas

Segundo os arrendatários das instalações portuárias da região, os principais focos de interesse para aplicações de IoT serão sensores de umidade do ar, elevadores, temperatura, proximidade, velocidade, presença e monitoramento de vagas de pátio, além de sensores de chuva, incêndio, vazamento de gás e ambiental, controle de equipamentos, movimentação de ativos, sistemas de identificação, detecção de movimento e medidores de energia.

"O mais amplo acesso a informação e a adequada gestão de dados, decorrentes da implantação de comunicação entre máquinas, telemetria e dispositivos de sensoriamento com ações remotas ou automáticas, terá efeito direto sobre a produtividade [do porto]. Como especialista em conectividade para IoT, a NLT tem orgulho em poder contribuir com esta evolução", afirmou o CEO da NLT, André Martins, em comunicado.

A empresa é uma operadora de atuação exclusiva no mercado de IoT, com oferta de uma rede LoRaWAN baseada na infraestrutura da American Tower e de rede celular como MVNO a partir da rede da Vivo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.