Setor de semicondutores prevê volta do mercado cinza com o fim dos incentivos

O fim do incentivo para a compra de tablets, smartphones e computadores, anunciado pelo governo na semana passada, tem o potencial de prejudicar significativamente o mercado eletroeletrônico brasileiro, diminuir o nível de empregos e de competitividade da indústria local e afastar a continuidade da inclusão digital (e social) da população brasileira. A avaliação é da Associação Brasileira da Indústria de Semicondutores (Abisemi), que prevê alta do desemprego no setor e o retorno do mercado cinza, caso o governo não reverta a decisão, como pleiteia.

Para a entidade, em um cenário de fortíssima instabilidade cambial, encolhimento do PIB e juros crescentes, a natural elevação de preços diminuirá ainda mais o consumo de computadores, tablets e smartphones. "Por outro lado, este cenário tende a elevar o já altíssimo déficit na balança comercial do País, que atingiu US$ 6 bilhões em 2013 apenas com relação à importação de componentes semicondutores, e que chegou a US$ 36,3 bilhões no conjunto da indústria eletroeletrônica", disse o presidente da associação, Rogério Duair Jacomini Nunes.

Notícias relacionadas

No início da semana passada, o governo editou a Medida Provisória 690, que suspende a isenção do PIS/Cofins incidente na compra de computadores, tablets, smartphones e outros equipamentos de microeletrônica pelo consumidor final. Segundo a Abisemi, a Lei do Bem criou o ambiente propício ao investimento e ao desenvolvimento da indústria local, a cadeia de produção de componentes pôde se estabelecer com segurança e hoje existem empresas no Brasil investindo pesadamente no desenvolvimento e na produção de semicondutores de alta tecnologia. "Todo esse esforço, no entanto, vem sendo colocado em risco pelo governo federal", afirmou Nunes.

A preocupação da entidade é com a velocidade com que o governo muda regras e princípios construídos ao longo de tantos anos. "Em qualquer mercado onde há investimento, é preciso haver normas claras e previsibilidade. Caso contrário, a cadeia produtiva se enfraquece e prejudica sobremaneira a segurança (e, por tabela, a atratividade) para novos investimentos no Brasil", sustenta a direção da Abisemi, em nota.

Para que isso não ocorra, a associação, além de defender a reversão da decisão de extinguir (ou mesmo de diminuir) os benefícios relacionados ao setor de IT e microeletrônica estabelecidos pela Lei do Bem, reivindica que qualquer mudança nas regras tributárias do setor de informática e de microeletrônica somente ocorra após ampla discussão junto aos diferentes segmentos envolvidos. Para Nunes, tais medidas são imprescindíveis para a preservação da indústria, dos empregos por ela gerados e dos avanços significativos obtidos com políticas positivas levadas a efeito nos últimos anos.

2 COMENTÁRIOS

  1. Poderiam descrever melhor o que é o mercado cinza, por favor? Estão falando de produtos contrabandeados ou pirateados?
    Obrigado.

Deixe uma resposta para Marcelo Cancelar resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.