Software recebeu 16,8% do investimento global das operadoras em 2019

Um levantamento realizado pela consultoria MTN Consulting concluiu que, em 2019, 16,8% do investimento (capex) realizado pelas operadoras de telecomunicações ao redor do mundo foram destinados para a área de software. Em 2015, porcentagem equivalia a 11,5%.

"Nas últimas duas décadas, o software se tornou o principal ingrediente para agregar valor nas redes. Isso acelerou nos últimos cinco anos com o crescimento das aplicações de Internet de larga escala e com o desafio contínuo da lucratividade enfrentado pelas operadoras", afirmou a consultoria.

Entre os principais destinos dos recursos estão as próprias fornecedoras de equipamentos, "que têm investido pesadamente em redes definidas por software e virtualização de funções de rede". Por essa razão, uma ampla gama de produtos de hardware já é projetada para fornecer funções, recursos e capacidade por meio de software.

"Essa mudança tem muitos benefícios: permite uma abordagem escalar do investimento, reduz os custos de manutenção e instalação, simplifica o gerenciamento do cliente e permite novas ofertas de serviços".

Dentro de casa

Outra frente dos investimentos em software seria o desenvolvimento de soluções dentro das operadoras. "Construir seu próprio software é um desafio, exceto para as maiores empresas, com acesso aos grupos de talentos necessários", afirmou a consultoria, notando que grande parte do setor ainda prefere recorrer a fornecedores.

"Algumas empresas de grande porte, como a Deutsche Telekom (DT), estão aumentando seus gastos com software interno em relação ao adquirido de terceiros. Embora em teoria isso possa permitir diferenciação e menor tempo de colocação no mercado, a abordagem pode ser difícil sustentar o clima econômico atual", completou o relatório.

Cloud

Também foi notado o maior investimento das operadoras em soluções de software baseadas em nuvem, incluindo software como serviço (SaaS) e similares.

"Essas transações estão evoluindo para grandes acordos plurianuais, nos quais uma empresa de telecomunicações efetivamente terceiriza as principais funções da rede para os provedores de nuvem", afirmou a MTN Consulting. "O crescente interesse das operadoras em mobile edge computing (MEC) para complementar o 5G também está impulsionando este tipo de parceria".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.