Publicidade
Início Newsletter Sercomtel acompanha MPF e volta a falar em comprar ativos da Oi...

Sercomtel acompanha MPF e volta a falar em comprar ativos da Oi Móvel

Foto: Pexels

A Sercomtel (que pertence ao mesmo grupo da Copel Telecom) reiterou ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) nesta terça-feira, 8, argumentos para a não aprovação da operação de aquisição dos ativos da Oi Móvel pela Claro, TIM e Vivo pelo Tribunal Administrativo do Cade. O julgamento está previsto para acontecer nesta quarta-feira, 9, às 10h. A operadora também voltou a manifestar ao Cade o interesse de adquirir os ativos da Oi Móvel.

A Sercomtel corrobora os argumentos apontados pelo memorial do Ministério Público Federal (MFP) dizendo que, assim como o órgão, acredita que a concentração de espectro nas mãos da TIM, Claro e Vivo merece maior atenção do Cade, e que remédios comportamentais não dariam conta de mitigar as preocupações relacionadas.

No documento, a companhia controlada pelo empresário Nelson Tanure diz que são necessários remédios mais eficazes que garantam a manutenção do nível de rivalidade nos mercados afetados de telefonia móvel e para criar condições que permitam a entrada ou a expansão de operadoras concorrentes com capacidade de capazes de rivalizar com as três grandes operadoras compradoras da Oi Móvel.

Notícias relacionadas

Outro comprador

A Sercomtel afirma que é importante impor remédios estruturais e não apenas comportamentais, e lembra que a Superintendência-Geral (SG) do Cade teria apontado para isso, mas alega que a questão foi abandonada no decorrer do caminho. Ela diz que para impor esses remédios não há qualquer obstáculo. “A SG/Cade reconheceu, portanto, que a gravidade dos riscos concorrenciais desta operação demandaria a imposição de remédios estruturais. Porém, os descartou como inviáveis com base em alegação genérica e não embasada de que não seria possível encontrar comprador de forma tempestiva.”

Ela questiona a inexistência de compradores para os ativos da Oi Móvel para além das três grandes operadoras. Segundo a Sercomtel, esse argumento não poderia ser usado como um elemento definidor da aprovação da operação pelo Tribunal Administrativo do Cade porque a própria operadora de Londrina (PR) já reiterou em outros comunicados que possui interesse nos ativos, em cenário de eventual imposição de remédios estruturais.

“Em manifestações recentes e em contatos mantidos com membros do Tribunal do Cade a Sercomtel reiterou, de forma detalhada e estruturada, o interesse em adquirir ativos potencialmente desinvestidos pelas Requerentes [TIM, Claro e Vivo]. Havia, ainda, outros interessados na aquisição dos ativos, conforme constatado pelo próprio MPF. Assim, o obstáculo apresentado pela SG/Cade para a imposição de remédios estruturais não existe.”

Nesse sentido, a Sercomtel aponta que não procedem os argumentos de TIM, Claro e Vivo de que, no caso da operação não ser aprovada, a Oi iria à falência e não poderia dar continuidade aos seus investimentos em fibra ótica. “Há compradores viáveis interessados – desde o leilão, diga- se, como reconhece o MPF – que poderiam, da mesma forma que as Requerentes, adquirir os ativos”, finaliza da Sercomtel no comunicado ao Cade.

Contudo, como lembrou o ex-presidente da Anatel, Juarez Quadros, em entrevista ao TELETIME, o processo competitivo pela Oi Móvel foi aberto a demais interessados, mas encerrado com oferta única do trio de operadoras – a única que havia efetuado proposta vinculante, a Highline, desistiu da concorrência.

6 COMENTÁRIOS

  1. “Há compradores viáveis interessados – desde o leilão, diga- se, como reconhece o MPF – que poderiam, da mesma forma que as Requerentes, adquirir os ativos”, finaliza da Sercomtel no comunicado ao Cade.
    E por que não fizeram lance no leião? Acorda Teletime.

  2. Um dia antes da decisão de todo processo um cretino oportunista consegue causar uma confusão e coloca toda grande mídia escrevendo besteiras e informações distorcidas. Por que esse mala não participou do leilão há um ano atrás? O que ele quer é fazer a Oi falir pra comprar a massa falida, fato que seria um atraso para o país e um prejuízo enorme para milhares de pessoas. Com todo desrespeito, mandem esses malas a merda!

  3. A sercomtel era municipal. Foi vendida e, todo mundo sabe que a maioria de seus clientes na linha móvel é da cidade, por que na época ela foi a única operadora móvel na cidade e quem queria adquirir não tinha opção. Hoje existem mais operadoras na região. Como disse o colega acima, por que ela não participou do leilão. Lembro que os atuais proprietários disseram que não tinha interesse no leilão. E, agora será que estão com medo de perder clientes…

Deixe seu comentário Cancelar resposta

Sair da versão mobile