Kassab confirma para 21 de março o lançamento do satélite brasileiro

Gilberto Kassab, Maximiliano Martinhão e autoridades SGDC satélite

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, confirmou, nesta quarta-feira, 8, o lançamento do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC) para o dia 21 de março, caso as condições técnicas e meteorológicas permitam."Ou seja, o lançamento está confirmado, mas há uma margem de erro", avisou.

Kassab visitou hoje o Centro de Comando e Controle do satélite localizado no 6º Comando Aéreo Regional (Comar), em Brasília. O Centro é a principal unidade de controle das atividades desenvolvidas pelo equipamento, que será monitorado 24 horas por dia. Outro centro de comando já foi instalado em terreno da Marinha, no Rio de Janeiro, e três outros serão construídos nas cidades de Campo Grande (MT), Florianópolis (SC) e Salvador (BA). O objetivo é garantir a redundância necessária para manter os serviços e realmente cobrir todo o Brasil.

Nos próximos dias, o ministro vai apreciar o modelo de negócio que a Telebras está elaborando para a venda de 70% capacidade do satélite para o serviço de banda larga, em banda Ka. Os outros 30% serão destinados para garantir a segurança das comunicações das Forças Armadas, na banda X. "A área comercial da Telebras passará, a partir de agora, a ter um papel muito importante no desenvolvimento da empresa no contexto das políticas públicas e, em especial, dos serviços prestados pela empresa", disse o ministro, sem datalhar exatamente como a Telebras pretende explorar o satélite.

O presidente da estatal Antonio Loss disse que o objetivo do satélite é fomentar a banda larga no Brasil inteiro e, para isso, venderá capacidade até para os pequenos provedores capacitados. "O nosso satélite é a soma de todos os outros satélites, é uma obra muito boa", ressaltou. Ele disse que entre os dias 3 e 20 de março, a empresa fará uma prospecção comercial no mercado. Loss também não deu detalhes de como a Telebras atuará comercialmente nem qual o público alvo das investidas comerciais.

O satélite brasileiro foi construído em parceria entre o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e o Ministério da Defesa, com investimentos estimados em R$ 2,1 bilhões e tempo de operação de aproximadamente 15 anos. No dia 14, o artefato chega a Kouru, na Guiana Francesa, de onde será lançado.

O secretário-executivo do MCTIC, Elton Zacarias, o secretário de Política de Informática, Maximiliano Martinhão, o secretário de Telecomunicações, André Borges, o presidente da Telebras, Antonio Loss, e o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Raimundo Coelho, participaram da visita.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.