Publicidade
Início Newsletter Com 5G já lançada, Verizon procura aplicações para promover tecnologia

Com 5G já lançada, Verizon procura aplicações para promover tecnologia

Hans Vestberg, CEO da Verizon

Em sua apresentação na Consumer Electronic Show (CES) na noite desta terça-feira, 8, o CEO da operadora norte-americana Verizon, Hans Vestberg, reiterou por diversas vezes que a tecnologia 5G será um “salto quântico” em relação à 4G. A tele lançou em outubro passado nos Estados Unidos o serviço de quinta geração baseado em ondas milimétricas em 28 GHz e acesso fixo pela rede móvel (FWA), mas toda a apresentação do executivo estava voltada ao futuro e as oportunidades que a tecnologia poderá trazer. “A 5G vai mudar tudo”, disse em sua introdução.

Sem mencionar a recente polêmica com o uso de marketing da 5G em redes LTE da AT&T, toda a apresentação da Verizon foi baseada na próxima geração de redes móveis, que se mostra o centro da estratégia da tele. Não por acaso, Vestberg foi promovido à presidência em agosto de 2018, vindo do cargo de CTO na operadora (antes, foi presidente da fornecedora sueca Ericsson). “A 5G é um salto quântico em relação à 4G, pois tem oito ‘moedas’ [capacidades] que servirão de base para a construção de serviços”, declarou, citando funcionalidades como pico de taxas de dados, volume de dados móveis, mobilidade, dispositivos conectados, eficiência de energia, implantação de serviços, confiabilidade e latência.

Notícias relacionadas

Por enquanto, a Verizon trabalha com possibilidades. A companhia lançou um desafio para receber ideias baseadas nas oito “moedas” da 5G, oferecendo um financiamento de até US$ 1 milhão para o desenvolvimento da sugestão e a possibilidade de executar o projeto no laboratório da operadora. Em curto prazo, Vestberg prometeu mais cidades nos EUA com o serviço, além de mais equipamentos compatíveis. “Já nos comprometemos com dois smartphones: o Motorola Z3 no primeiro trimestre e um novo da Samsung que ainda não foi revelado”, declarou.

Parcerias

Foram anunciadas parcerias focadas em 5G. O jornal The New York Times passa a integrar o grupo de inovação aberta da operadora para ter acesso à tecnologia e utilizar recursos em situações reais de campo com repórteres para capturar mídia imersiva e entregar histórias de maneira mais urgente. “Vamos ter que esperar para a CES do próximo ano para mostrar o fruto completo da parceria”, declarou o CEO da publicação, Mark Thompson.

Da mesma forma, o CTO da Disney, Jamie Voris, prometeu apresentar na edição de 2020 do evento mais amostras da tecnologia utilizada pela companhia com a conectividade 5G. A gigante de mídia e entretenimento anunciou parceria com a Verizon para o lançamento do Studiolab, um hub para desenvolvimento da próxima geração de tecnologia de cinema, incluindo projetos em cloud para renderização e drones para investigar locações para filmagem. A companhia, que detém subsidiárias também gigantes no cinema como Marvel, Lucasfilm (Star Wars) e Pixar, tem 25 projetos ativos, incluindo fluxo de produção baseado na nuvem, pôsteres conectados e captura de iluminação volumétrica em 3D.

A aplicação de realidade aumentada com baixa latência também foi demonstrada pela empresa MedVis com o dispositivo Hololens, da Microsoft, para realização de cirurgias delicadas com superimposição de tomografias e radiografias no paciente, permitindo ao médico ver com detalhes por onde está sendo realizado o procedimento. Sem uma aplicação real, mas com objetivo de ressaltar a baixa latência da 5G, a Verizon realizou uma demonstração em conjunto com o Yahoo de um feed de vídeo em tempo real para o óculos de um jogador da liga americana de basquete, NBA, acertar a cesta como se estivesse sem óculos.

De maneira mais prática, o projeto da subsidiária da operadora especializada em drones, a Skyward, foi demonstrado no palco em Las Vegas. De lá, Hans Vestberg comandou o voo (embora pré-programado) de um drone na cidade de Los Angeles, com feed em tempo real do vídeo a um throughput de 900 Mbps. O objetivo é permitir não apenas a conexão para controle remoto, mas também poder gerenciar planos de voos de drones autônomos no espaço aéreo de forma segura. “Podemos ter transporte para trabalho, de carga, ou de encomendas e nunca mais ficar preso no tráfego”, prevê a representante da empresa, Mariah Scott.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile