Atendimento digital passa a ser o canal preferido do brasileiro, aponta pesquisa

Durante a pandemia do coronavírus, houve mudanças não apenas na percepção do consumidor brasileiro em relação à essencialidade dos serviços de telecomunicações, mas também a forma com a qual ele se relaciona com as operadoras. Pesquisa da consultoria Boston Consulting Group diz que os canais digitais e call centers disputavam a preferência antes da pandemia, com 46% e 43%, respectivamente. Depois do início do período de quarentena, os canais digitais passaram a ser preferidos por 55%, enquanto e 37% ainda optam pelos tradicionais.

Segundo o sócio-diretor do BCG Brasil, Nuno Gomes, a própria movimentação do governo em relação à disponibilidade do auxílio emergencial por meio do aplicativo da Caixa (com tráfego gratuito das operadoras) mostra que o brasileiro é "proativamente digital". Ele diz que a pesquisa mostrou que o cliente não tem problemas em migrar para o canal digital, uma vez que funcione. "Se eu tiver um aplicativo com user experience para resolver [o problema], não vou ligar para call center", diz.

A pesquisa aponta ainda que os serviços que utilizam inteligência artificial para lidar com o cliente brasileiro trazem grau de satisfação maior do que no atendimento humano. "Você fala com uma máquina, mas aquilo que você já disse foi registrado, não tem que repetir", diz.

Notícias relacionadas

O levantamento do BCG foi comprovado pelos números da Claro e da TIM apresentados nesta semana. No caso da Claro, mais de 80% das transações já acontecem no canal digital.

Considerações

Na opinião de Gomes, o fluxo de atendimento precisa contar com maior atenção na parte transacional, isto é, possibilidade de adquirir produtos e contratar planos. Outro ponto é o da autoinstalação de serviços fixos. "No Brasil, na última milha, há dificuldade, os prédios não são construídos já preparados para apenas conectar um aparelho", diz.

Por conta disso, o diretor do BCG acredita que tecnologias de fixo-móvel (FWA), como o 5G, poderá eliminar essa complicação de operação de técnico de campo para instalação da última milha. "Não só por ser mais rápida a instalação, mas por ser mais cedo: em vez de demorar cinco dias para chegar lá, eu instalo em um dia e ganho quatro dias de receita". Ele acredita também que isso trará margem maior na operação, mas ressalta que é necessária a aprovação de mecanismos como a Lei das Antenas para facilitar a instalação da infraestrutura de suporte.

A pesquisa "Como a Covid-19 impacta o comportamento do consumidor de telecomunicações brasileiro?" foi realizada pelo BCG durante o mês de maio com mais de mil brasileiros em 26 estados. O levantamento foi feito em outros 16 países.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.