Para HBO, conteúdo Premium na internet desvaloriza o negócio

"No caso do conteúdo Premium, a distribuição gratuita via Internet mina o valor do negócio". Essa é a opinião do diretor de vendas da HBO para o Brasil, Humberto Anderson, responsável pelos canais HBO e Cinemax. Ele explica que a HBO tem os direitos para suas séries, mas que o conteúdo só está disponível na TV por assinatura.
No caso dos canais Premium da HBO, a Internet deve ser usada como ferramenta promocional, sem acabar com o propósito da assinatura. "Podemos oferecer um episódio de uma série de 13 capítulos, assim as pessoas podem ver a qualidade do conteúdo e assinar a TV paga", disse. Vale lembrar que a HBO usou essa estratégia no lançamento da serie brasileira "Alice", ao disponibilizar o primeiro episódio também pela Internet.
Ainda que a pirataria ameace os negócios da TV paga, Anderson acredita que existem maneiras de tentar controlá-la. "Há uma área na HBO dedicada a combater pirataria. Fazemos o que está ao nosso alcance para controlá-la".
Sobre a possibilidade de ter, no futuro, um modelo que permita apenas ao assinante de TV paga acessar o conteúdo via Internet, Anderson se mostra cauteloso. "Podemos fazer isso no futuro, caso haja um jeito de controlar. Neste caso, se cria um valor adicionado para o assinante. No entanto, não chegamos neste ponto ainda, nem mesmo nos Estados Unidos", conclui. O modelo, chamado de TV Everywhere, está sendo fomentado pela Time Warner Cable nos EUA. A Time Warner é a controladora da HBO nos EUA. Mais informações sobre a polêmica dos canais pagos na Internet estão em reportagem de capa da revista TELA VIVA de abril.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.