Indústria cresce apenas 5% e registra queda nas exportações

A indústria de telecomunicações cresceu apenas 5%, segundo as projeções da Associação Brasileira da Indústria Eletroeletrônica (Abinee) e passou de um faturamento de R$ 16,7 bilhões no ano passado para R$ 17,5 bilhões neste ano. No total, a indústria eletroeletrônica faturou R$ 112 bilhões, com expansão de 8% em relação ao ano passado, quando a receita foi de R$ 104 bilhões. ?O primeiro trimestre deste ano foi fraco, houve uma recuperação no segundo trimestre e apenas no terceiro trimestre houve reaquecimento, com investimentos da Claro, Vivo e Telemig Celular?, afirma o vice-presidente da Abinee e presidente da NEC, Paulo Castelo Branco. Para o ano que vem, a previsão da Abinee é que o faturamento suba 8% na indústria de telecomunicações, para R$ 18,9 bilhões.

Handsets geram maior parte da receita

O segmento de telecomunicações foi puxado pelos handsets, que geraram R$ 10 bilhões dos R$ 17,5 bilhões da receita total. A 3G ainda não está refletida neste número. No entanto, se as exportações de aparelhos caíram (de 32 milhões de unidades no ano passado para 21 milhões de aparelhos este ano, queda de 34%), as importações do setor cresceram 56% (de R$ 1,2 bilhão em 2006 para R$ 1,9 bilhão este ano), principalmente por conta da infra-estrutura de 3G. No total da indústria, as exportações caíram 21%, de R$ 3,1 bilhões no ano passado para R$ 2,4 bilhões este ano.

Notícias relacionadas
Na telefonia fixa, o mercado de acesso à banda larga (ADSL) foi um dos poucos setores que continuou aquecido, também com a maior parte dos equipamentos importados. Ainda, as concessionárias continuam no processo de migração das redes TDM para redes IP. Também nesse setor, os equipamentos são importados.
Na balança comercial, o déficit do setor eletroeletrônico aumentou 38%, para US$ 14,5 bilhões (US$ 10,5 bilhões no ano passado). As exportações totais foram de US$ 23,7 bilhões ante importações no valor de US$ 9,2 bilhões.

TV digital

A TV digital, que começou a funcionar no último dia 3 em São Paulo, ainda não tem nenhum efeito nos números da indústria eletroeletrônica. Ao contrário: por causa da transmissão digital na TV aberta, muitos consumidores deixaram de comprar novos aparelhos de TV, à espera das definições. No ano passado, por conta da Copa do Mundo, houve uma forte expansão na venda de aparelhos. Foram vendidas, em 2006, 300 mil unidades de aparelhos de TV de plasma e LCD (não necessariamente com tecnologia HDTV). Para este ano, estima-se que esses aparelhos atinjam um volume de 1 milhão de unidades vendidas e 2 milhões no ano que vem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.