IPTV, M2M e push-to-talk são as tecnologias com as quais a Telefônica/Vivo pretende crescer

A Telefônica/Vivo está apostando em novos negócios, como a plataforma IPTV, conexões máquina-a-máquina (M2M) e serviços push-to-talk (com a tecnologia concorrente da Nextel). Segundo o CEO da empresa no Brasil, Paulo César Teixeira, as novas iniciativas deverão ajudar a manter o crescimento da empresa no próximo trimestre. O executivo falou em conferência com analistas nesta terça-feira, 6, após a divulgação dos resultados financeiros da operadora, mas acabou evitando elaborar mais as estratégias de ataque e defesa em relação à concorrência.

Um dos pontos abordados foi o mercado de comunicação entre máquinas (M2M). A Telefônica/Vivo afirma ter crescido 70% no mercado M2M na comparação com o terceiro trimestre de 2011. Segundo dados da Anatel, a operadora fechou o mês de setembro com 1,033 milhão de acessos máquina-a-máquina, apesar de não oferecer dados específicos sobre M2M referentes a setembro de 2011. No entanto, mesmo com o crescimento, a companhia continua como a terceira posição em participação do mercado, atrás da Claro (com 2,991 milhões) e TIM (com 1,243 milhão) em número de acessos.

IPTV

Já o lançamento da oferta de IPTV, por enquanto em soft-launch em São Paulo desde outubro, deverá nos acontecer até o final do ano tanto sobre as redes de fibra quanto coaxial (HFC). De acordo com Paulo César Teixeira, a fibra está atualmente disponível para um milhão de residências (apesar de a empresa focar no potencial de 100 mil usuários que já são assinantes da banda larga em fibra). "Vamos chegar a 1,5 milhão (de homes passed) no primeiro trimestre de 2013", diz ele, revelando parte dos planos para futura expansão da fibra (o dado havia sido antecipado em entrevista à revista TELETIME de setembro). Esse crescimento da infraestrutura, diz, é suficiente para a demanda de mercado. "Achamos que é um serviço premium e, se comparar com os anos anteriores, crescemos mais de 100%", justifica. O relançamento do serviço, agora com a plataforma Mediaroom da Microsoft, deverá substituir também os set-top-boxes antigos baseados na solução da Alcatel-Lucent para os cerca de 5 mil usuários antigos da plataforma de IPTV anterior.

Nas residências com FTTH deverá ser ofertada também a conexão de 200 Mbps, que a Telefônica afirma ser a mais rápida atualmente no mercado. Entretanto, a empresa não comentou a estratégia de comercialização com outras velocidades, especialmente agora com a concorrência da oferta de ultrabanda larga da TIM com preços agressivos de R$ 1 por megabit. Para comparação, a nova conexão de 200 Mbps da Vivo, sem nenhum serviço agregado, custa R$ 300 mensais nos primeiros três meses, subindo depois para R$ 350. A operadora chegou a mencionar em convergência de serviços em busca da lealdade do consumidor, dando descontos para quem é assinante de telefonia móvel, mas não deu maiores detalhes sobre a política.

PTT

Já o serviço push-to-talk da empresa, o Vivo Direto, observou um crescimento de 94% na comparação de trimestres. Alegando possuir uma melhor cobertura por ser baseado na tecnologia 3G já instalada, Teixeira falou da comparação do serviço com a concorrente. "Se comparar com a Nextel, temos uma abordagem diferente e estamos focando no segmento corporativo", disse, sem querer revelar números da base de usuários.

Teixeira afirmou ainda que o plano geral de metas de competição (PGMC) aprovado na semana passada não tem um efeito negativo, pelo menos por enquanto. "Achamos que é muito cedo para comentar sobre isso, mas, em geral, vemos de uma maneira positiva", explicou. Sobre as metas de qualidade impostas pela Anatel, o executivo apenas afirmou que tanto a rede fixa quanto móvel têm capacidade para entregar a velocidade de acordo com as novas regras. "Acho que estamos preparados para isso, sem problemas", simplificou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.