Publicidade
Início Newsletter TIM e outras nove empresas criam projeto para ampliar acesso de mulheres...

TIM e outras nove empresas criam projeto para ampliar acesso de mulheres ao mercado

Presidente da TIM, Pietro Labriola, durante coletiva de imprensa em fevereiro

(Publicada originalmente no Mobile Time) A TIM e outras nove empresas uniram-se para promover o desenvolvimento da mulher brasileira no mercado de trabalho. Para isso, concentraram-se em três temas considerados os mais importantes neste momento de retomada da economia: a empregabilidade, a capacitação e a mentoria. Para reunir dois desses assuntos, firmaram uma parceria com Fabiana Saad, idealizadora do projeto e aplicativo Mulheres Positivas (AndroidiOS). No app estarão disponíveis vagas de emprego de todas as companhias envolvidas no projeto, além de cursos de capacitação, também gratuitos. Vale dizer que clientes TIM tem zero rating no acesso à aplicação, ou seja, não gasta o pacote de dados, e os cursos são gratuitos.

O trabalho, ou seja, da idealização até ele ser posto em prática, foi desenvolvido em menos de dois meses e fazem parte do projeto as seguintes empresas, além da TIM: Accenture, Adidas, Enel, Generali, Microsoft, Oracle, Pirelli, Stellantis e Via.

“Queremos levar benefícios à sociedade que é também o espírito do ESG (que são métricas relacionadas a ativos tangíveis sobre dados ambientais, sociais e de governança corporativa). Tentando imaginar o que poderíamos fazer, imaginamos que, com a retomada da economia e a necessidade de voltar ao trabalho, teríamos a oportunidade para fazer algo de concreto, sobretudo para as mulheres, que foram as pessoas mais impactadas com a perda de trabalho durante o período da Covid-19. São mais de 16 meses”, explica disse Pietro Labriola, CEO da TIM em evento voltado para a imprensa nesta terça-feira, 6.

Notícias relacionadas

O terceiro componente, a mentoria intercompany, será realizada pela consultoria CMI Business Transformation, liderada por Maristella Iannuzzi, executiva da área de tecnologia, especialista em diversidade e inclusão e com vários trabalhos junto à ONU Mulheres e aos Princípios de Empoderamento da Mulher (WEPs). Com duração de seis a oitos meses, a mentoria está focada no desenvolvimento de carreira de mulheres das empresas participantes. As sessões serão realizadas de maneira cruzada: uma diretora da Microsoft, por exemplo, poderá atuar como mentora de uma colaboradora da Pirelli e assim por diante.

“Essa iniciativa demonstra que para fazer algo, não precisa fazer um grande projeto de um ano de trabalho. Em dois meses colocamos na mesa um projeto que é uma resposta concreta para melhorar a vida dessas mulheres e é um convite para que outras empresas e outras operadoras se juntem a nós porque agora precisamos ajudar as pessoas a voltarem ao mercado de trabalho e, para isso, elas precisam de mais capacitação”, resumiu Labriola.

No app Mulheres Positivas, foi criada uma seção dedicada a cursos, com conteúdos sobre carreira, negócio, tecnologias, equidade de gênero, inovação, entre outros. O material foi cedido pelas companhias participantes, para apoiar mulheres em seu desenvolvimento pessoal e profissional (Por Isabel Butcher).

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile