Qualcomm defende a vinculação do 2,5 GHz e 450 MHz

A Qualcomm foi uma voz dissonante nas contribuições à consulta pública para o edital de venda das faixas de 2,5 GHz e 450 MHz. Enquanto as operadoras, advogados e associações que representam as teles pediram que a Anatel desvinculasse as faixas, a Qualcomm elogiou a medida.

“Através de uma única licitação, efetiva e sucinta, a Anatel fará com que não só as áreas urbanas mas todo país se beneficie do desenvolvimento e investimento em tecnologias inovadoras de banda larga sem fio, garantindo à Anatel que os custos de preparação e realização da licitação sejam mais econômicos”, diz a companhia.

Notícias relacionadas

Mais uma vez, a Qualcomm manifestou seu compromisso no desenvolvimento de chipsets LTE para a faixa de 450 MHz. O entendimento da companhia é que as soluções tecnológicas das faixas de 450 MHz e 2,5 GHz se complementam, o que permite às prestadoras móveis atenderem a áreas de alta densidade e, ao mesmo tempo, zonas rurais.

“Entende-se que a licitação e a autorização de forma conjunta das faixas permitirão que sejam alcançados os objetivos propostos pelo governo, promovendo, além da massificação, a universalização de serviços de banda larga no país, e oferecendo ainda opções para a implementação de redes aos prestadores, para que estes possam investir de forma mais eficiente, e com menores custos de operação em áreas remotas, rurais e subatendidas”, diz a contribuição da companhia.

A companhia lembra que a faixa de 700 MHz estará disponível apenas em 2016 e o 450 MHz poderá servir para soluções LTE. A empresa cita um levantamento da consultoria Informa Telecom & Media segundo o qual pelo menos seis operadoras na Ásia e no leste europeu estão testando o LTE em 450 MHz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.