Publicidade
Início Newsletter Oi: minoritários indicam nome para conselho de administração

Oi: minoritários indicam nome para conselho de administração

Foto: Pexels/Pixabay

Dois dos acionistas minoritários da Oi, Victor Adler e VIC DTVM, enviaram à operadora a indicação de Raphael Manhães Martins para o cargo de membro do conselho de administração. O nome deverá ser considerado em separado pelos acionistas na votação a assembleia geral extraordinária, convocada para o próximo dia 6 de março. A companhia confirmou a indicação em aviso aos acionistas, comunicado ao mercado, nesta segunda-feira, 6. 

Martins é advogado e sócio do escritório Faoro Advogados desde 2010. Desde o ano passado, ele é membro do conselho de administração da própria Oi, onde também é parte do Comitê de Transformação, Estratégia e Investimento. Ele já teve passagens também pela Copel, Cielo, Light, Smiles e na Eternit, empresa que tem Victor Adler como sócio. 

A passagem marcante de Raphael Martins, contudo, foi no conselho fiscal da Oi, entre 2019 e 2021. Ele foi contra mudanças na remuneração em benefício do próprio conselho de administração da empresa, que inclusive previam que, ao fim da recuperação judicial, haveria um aumento retroativo para conselheiros. Em entrevista ao jornal Valor Econômico, em abril de 2021, ele criticou as decisões da diretoria. 

Notícias relacionadas

A AGE convocada para o início de março tem como motivo a proposta dos minoritários de alterar o estatuto social da Oi para reduzir o número de cadeiras no conselho de administração de 11 para entre sete e nove membros. Sobretudo, a ideia é de destituir a atual diretoria da operadora. Em contrapartida, o conselho atual já apresentou uma nova chapa, com a permanência de oito membros e mais a inclusão do presidente, Rodrigo Abreu.

1 COMENTÁRIO

  1. A OI já passou por um etapa de segmentação dos serviços. Um deles, pelo menos, foi vendido – comunicações móveis. A tendência natural é que o restante siga o mesmo caminho, porém, com cada vez menos interessados, posto que, são segmentos deficitários, pouco atrativos. Os pedidos de recuperação judicial serão recorrentes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile