Conexão de dados é pior nos grandes centros e na região Norte

A análise dos dados divulgados nesta quarta, 6, pela Anatel, mostra que as cidades em que a qualidade da conexão de dados das operadoras móveis é pior são os grandes centros urbanos e em municípios da região Norte. O relatório mostra também que em boa parte das cidades em que as empresa não atingiram a meta, elas não o fizeram por muito pouco. Mas há os casos em que a deficiência do serviço é brutal, como da Oi em Macapá (AP). Segundo a Anatel, em outubro 21% das chamadas de voz da empresa caíam, quando a meta é de 2%. A Anatel identificou como críticas no relatório as cidades acima de 30 mil habitantes em que os índices das empresas mais se distanciam da meta. Esses casos estão marcados em vermelho.

Claro

Para o índice de acesso a dados, de acordo com o Regulamento de Gestão da Qualidade da Prestação do Serviço Móvel Pessoal (RGQ-SMP), 98% das tentativas de conexão devem ser bem sucedidas. A Claro, contudo, está fora da meta em 19 cidades acima de 30 mil habitantes, sendo que em quatro delas a taxa apresentada pela operadora está na casa dos 80% – bem distante ainda da meta e, por isso, identificada em vermelho no relatório da Anatel. O município em que a operadora entrega a conexão mais difícil de ser completada é Bauru (SP), onde o índice apurado pela Anatel foi de 82%. As outras cidades, além de Bauru, em que a operadora está longe da meta são: Campo dos Goytacazes (RJ) – onde a empresa também está loge da meta de acesso de voz –, Niterói (RJ) e São José do Rio Preto (SP).

Oi

A Oi, por sua vez, foi a dona do menor índice de conexão de dados. Em Boa Vista (RR), a Anatel apurou que em outubro apenas 57% das conexões foram bem sucedidas. Aliás, os clientes da Oi em Boa Vista também sofrem com o serviço de voz da operadora. O índice de queda de chamadas desde agosto está muito longe do mínimo estipulado de 2%: em outubro foi de 13%; em setembro, 15%; e em agosto, 18%. As outras cidades em que a Anatel identificou que a operadora está longe da meta de conexão de dados foram Caucaia (CE), Jaboatão dos Guararapes (PE), Macapá (AP), Salvador e Vitória da Conquista (BA). Em Macapá, o relatório mostra também que o serviço de voz da empresa está muito longe da meta. Em agosto 23% das chamadas caíam, em setembro 25% e em outubro 21%. No total a Oi está fora da meta de acesso a dados em 30 cidades.

TIM

A TIM foi "avermelhada" pela Anatel em Uberlândia (MG), Jundiaí (SP), Manaus (AM) e Mogi das Cruzes (SP), mas, assim como as outras empresas, está fora da meta em muitas outras cidades: no caso 52, das 81 com 30 mil habitantes ou mais. Em algumas delas, como também nas outras empresas, o índice da operadora está muito próximo da meta da Anatel, como em Vitória (97,7%), ou Santos (97,98%).

Vivo

A Vivo é a operadora móvel que mais descumpre a meta de acesso a dados, segundo o levantamento da Anatel. Das 81 cidades com mais de 30 mil habitantes, segundo o relatório, a Vivo está fora da meta em 62 delas, sendo que em cinco (Jundiaí, Manaus, São Paulo, Vitória da Conquista e Mogi das Cruzes) a Anatel considera que a empresa está longe da meta. Em relação ao serviço de voz, a empresa não cumpre a meta em Ribeirão Preto (SP), Vitória da Conquista e Manaus (AM), mas não foi, entretanto, "avermelhada" pela agência.

Em nota, a operadora contesta os dados apresentados pela Anatel. Segundo a Vivo, a agência considera as tentativas de acesso à Internet pela rede 2G, sem ponderá-lo em relação ao volume de dados – de quase 100% –  que trafega pela rede 3G, essa sim apropriada ao tráfego de dados. "Este efeito não está capturado no índice final da Anatel por ele não ser ponderado e por não levar em consideração o volume de dados trafegados em cada uma destas redes. A Telefônica Vivo apresentou esses argumentos à Anatel e espera que os próximos resultados consigam refletir a real experiência que seus clientes obtêm durante a navegação em suas rede", diz a companhia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.